O que faz um Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde

Profissionais exercendo a profissão de Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde planejam, coordenam e avaliam ações de saúde, definem estratégias para unidades e/ou programas de saúde, realizam atendimento biopsicossocial, administram recursos financeiros, gerenciam recursos humanos e coordenam interfaces com entidades sociais e profissionais.

Algumas das principais funções da profissão

  • Estabelecer protocolos de atendimento;
  • Calcular custo de tratamentos;
  • Avaliar resultados de campanhas;
  • Demonstrar capacidade de administrar o tempo;
  • Demonstrar capacidade de administrar conflitos;
  • Estabelecer níveis de responsabilidade dos profissionais de saúde;
  • Analisar indicadores de saúde;
  • Dimensionar necessidade de contratação;
  • Demonstrar capacidade de comunicação;
  • Definir instruções de serviços internos;
  • Conciliar interesses dos usuários de serviços de saúde;
  • Liderar pessoas;
  • Demonstrar criatividade;
  • Implementar programas de saúde;
  • Identificar necessidades de capacitação e qualificação;
  • Demonstrar capacidade de tomar decisão;
  • Estabelecer critérios de avaliação;
  • Demonstrar capacidade de negociação;
  • Avaliar desempenho dos profissionais;
  • Demonstrar capacidade de escuta;
  • Avaliar o impacto das ações de saúde;
  • Demonstrar empatia;
  • Avaliar ações de vigilância de saúde;
  • Gerenciar serviços de assistência à saúde;
  • Demonstrar iniciativa;
  • Acompanhar resultados de ação de saúde;
  • Operacionalizar campanhas de saúde;
  • Elaborar estudos de viabilidade técnica e econômica;
  • Promover atividades científicas;
  • Estabelecer metas administrativas, técnicas e financeiras;
  • Demonstrar capacidade de comunicação não verbal;
  • Gerenciar risco em farmacovigilância;
  • Gerenciar risco em tecnovigilância;
  • Levantar custo da prestação de serviços;
  • Contornar situações adversas;
  • Identificar perfis profissionais, de acordo com as necessidades;
  • Dimensionar rede própria e/ou credenciada de serviços de saúde;
  • Operacionalizar ações e normas de autoridades sanitárias;
  • Avaliar desempenho dos equipamentos de saúde;
  • Demonstrar capacidade de trabalhar em equipe;
  • Aplicar as normas legais referentes ao funcionamento das unidades assistenciais e/ou atenção à saúde (farmácia, casa de apoio...);
  • Viabilizar captação de recursos;
  • Organizar fluxo de atendimento aos usuários;
  • Implementar ações de saúde e segurança do trabalhador;
  • Demonstrar capacidade analítica;
  • Demonstrar capacidade de observação;
  • Monitorar cumprimento de normas técnicas, administrativas e legais;
  • Analisar indicadores sociodemográficos;
  • Evidenciar acessibilidade;
  • Demonstrar capacidade de estabelecer vínculos;
  • Estabelecer critérios para otimização de atendimento;
  • Promover programa de qualidade de vida no trabalho;
  • Demonstrar capacidade retórica;
  • Gerenciar risco em hemoderivados;
  • Acompanhar processos de assistência à saúde;
  • Levantar custo por departamento;
  • Acompanhar processos de ação de saúde;
  • Evidenciar capacidade crítica;
  • Adequar funcionamento da unidade assistencial às normas;
  • Delegar funções;
  • Estabelecer normas técnicas de funcionamento da unidade assistencial;

Onde o Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde pode trabalhar

Gestores e especialistas de operações em empresas, secretarias e unidades de serviços de saúde os cargos dessa família CBO podem exercer suas funções em empresas públicas ou privadas de atividades da saúde e serviços sociais. São empregados na condição de assalariado com carteira assinada, organizam-se em equipe e atuam com supervisão ocasional ou sem supervisão, trabalham em ambientes fechados e em períodos noturnos e diurnos. Em algumas atividades podem trabalhar sob pressão, levando-os à situação de estresse constante.

Como trabalhar de Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde

Essas ocupações são exercidas por pessoas com ensino superior completo, acrescida de cursos de especialização, com carga horária de duzentas a quatrocentas horas para o Diretor e Gerente de Serviços de Saúde e o Tecnólogo em Gestão Hospitalar. Para exercer a ocupação de sanitarista o profissional deve possuir graduação em nível bacharel na área de saúde pública/coletiva ou então ter o terceiro grau completo em qualquer área, porém um curso de especialização/pós- graduação na área de saúde pública/coletiva. Nenhuma experiência profissional é exigida do Gerontólogo. O exercício pleno das atividades para os demais profissionais ocorre após o período de um a dois anos de experiência profissional.

Qual a formação mais comum para a profissão

A formação universitária mais comum para um Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde é a formação em Enfermagem e/ou Medicina para entrar e atuar no mercado de trabalho atual.

Quanto ganha um Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde

O Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde tem um salário inicial de R$ 2.333,65 podendo chegar a R$ 12.789,62 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 4.774,55 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 6.095,27 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde).

Qual a jornada de trabalho do Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde

O Gerente de Apoio e Diagnóstico de Saúde trabalha em média 41 horas por semana (205 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.