O que faz um Professor de História do Pensamento Econômico

Profissionais exercendo a profissão de Professor de História do Pensamento Econômico ministram aulas, preparam cursos, programas, disciplinas e aulas, na área de ciências econômicas, administrativas e contábeis, do ensino superior, assistem e avaliam alunos, produzem trabalhos acadêmicos e orientam a elaboração de teses, monografias, dissertações e trabalhos de uso. Participam de atividades administrativas, bancas examinadoras e eventos acadêmicos, administram departamentos de ensino, realizam atividades de extensão e comunicam-se oralmente e por escrito.

Algumas das principais funções da profissão

  • Procurar fontes de financiamentos;
  • Demonstrar raciocínio lógico;
  • Elaborar relatórios;
  • Preparar material didático;
  • Elaborar projetos;
  • Orientar utilização de normas e formas de apresentação;
  • Preparar conteúdo da aula;
  • Registrar frequência dos alunos;
  • Expressar-se com fluência verbal em língua estrangeira;
  • Julgar trabalhos acadêmicos e científicos;
  • Orientar pesquisa bibliográfica;
  • Utilizar recursos técnicos para exposição;
  • Organizar grade curricular e horária;
  • Fornecer orientação acadêmica e profissional;
  • Assistir a eventos;
  • Coletar dados;
  • Interpretar textos em línguas estrangeiras;
  • Manter-se atualizado;
  • Criticar versões dos trabalhos;
  • Debater trabalhos;
  • Elaborar artigos científicos e acadêmicos;
  • Cumprir deveres e compromissos com pontualidade;
  • Expressar-se por escrito com fluência;
  • Aferir provas e trabalhos;
  • Participação de programas de orientação profissional;
  • Auxiliar na definição de metodologias;
  • Analisar propostas de pesquisa;
  • Preparar exames;
  • Coordenar execução do projeto;
  • Orientar monitores;
  • Selecionar trabalhos acadêmicos para eventos;
  • Orientar pesquisa teórica;
  • Atualizar o conteúdo programático;
  • Auxiliar elaboração de base de dados;
  • Expressar-se oralmente;
  • Proferir palestras;
  • Apresentar trabalhos, artigos e comunicações;
  • Selecionar recursos técnicos para exposição;
  • Demonstrar dinamismo;
  • Definir temas e escopo da pesquisa;
  • Propor alterações em teses e dissertações;
  • Motivar;
  • Indicar uso de softwares específicos e calculadoras;
  • Definir bibliografia;
  • Indicar professor para contratação;
  • Elaborar prestação de contas;
  • Propor trabalhos para publicação;
  • Participar de comissões editoriais;
  • Elaborar teses e dissertações;
  • Avaliar teses, monografias e dissertações;
  • Demonstrar capacidade de análise crítica;
  • Sugerir composição da banca examinadora;
  • Orientar coleta de dados;
  • Adaptar-se a circunstâncias e situações variadas (flexibilidade);
  • Orientar aluno quanto à estruturação do pensamento;
  • Dar parecer em publicações científicas e acadêmicas;
  • Adequar o conteúdo programático à realidade;
  • Divulgar resultados de pesquisas;
  • Definir cronograma;
  • Participar de atividades administrativas;
  • Definir metodologia;
  • Esclarecer dúvidas de alunos;
  • Definir conteúdo programático;
  • Atribuir tarefas;
  • Orientar pesquisa de campo;
  • Expor conteúdos referentes a disciplinas de economia, administração e contabilidade;
  • Pesquisar bibliografia;
  • Aplicar prova escrita e oral;
  • Propor parcerias de pesquisas com instituições privadas e públicas;
  • Coordenar mesas de debates;
  • Auxiliar na definição de temas de pesquisa;
  • Participar de painéis;
  • Orientar na publicação de trabalho;
  • Orientar empresa júnior e incubadoras de empresas;
  • Agir com responsabilidade;
  • Direcionar na obtenção de bolsas de estudo;
  • Assessorar projetos técnicos de economia, administração e contabilidade;
  • Analisar dados;
  • Participar da avaliação de cursos;
  • Classificar dados;
  • Elaborar propostas de projetos técnicos em economia, administração e contabilidade;
  • Organizar eventos;
  • Aplicar recursos didáticos;
  • Preparar exercícios relativos a economia, administração e contabilidade;
  • Avaliar participação em aula;
  • Auxiliar na obtenção de estágio;
  • Organizar equipes;
  • Auxiliar na escolha da disciplina;

Onde o Professor de História do Pensamento Econômico pode trabalhar

Professores de ciências econômicas, administrativas e contábeis do ensino superior os cargos dessa família CBO exercem suas funções em instituições e entidades de ensino, trabalham de forma individual, com supervisão ocasional, em ambientes fechados e no período diurno. São contratados na condição de trabalhadores assalariados, com carteira assinada. Podem estar sujeitos a estresse constante, devido à condição de trabalhos sob pressão.

Como trabalhar de Professor de História do Pensamento Econômico

Essas ocupações são exercidas por pessoas com escolaridade de ensino superior ou com formação profissional em nível técnico (cursos técnicos). O pleno exercício das atividades ocorre após o período de um a dois anos de experiência profissional.

Qual a formação mais comum para a profissão

A formação universitária mais comum para um Professor de História do Pensamento Econômico é a formação em Economia e/ou Matemática para entrar e atuar no mercado de trabalho atual.

Quanto ganha um Professor de História do Pensamento Econômico

O Professor de História do Pensamento Econômico tem um salário inicial de R$ 1.723,58 podendo chegar a R$ 13.465,40 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 6.045,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 6.425,47 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Professor de História do Pensamento Econômico).

Qual a jornada de trabalho do Professor de História do Pensamento Econômico

O Professor de História do Pensamento Econômico trabalha em média 26 horas por semana (130 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.