O que faz um Técnico de Operação (química

Profissionais exercendo a profissão de Técnico de Operação (química realizam interfaces de turnos de trabalho, programam atividades de produção e monitoram funcionamento de equipamentos e sistemas. Controlam parâmetros do processo produtivo, operam suas etapas e movimentam materiais e insumos. Transformam polímeros em produtos intermediários ou finais e realizam manutenção de primeiro nível. Trabalham em conformidade a normas e procedimentos técnicos de qualidade, segurança, higiene, saúde e preservação ambiental.

Algumas das principais funções da profissão

  • Pró-agir;
  • Efetuar correções nas variáveis conforme resultados laboratoriais;
  • Substituir juntas de vedação;
  • Monitorar índices técnicos (produção, custos, metas e qualidade);
  • Desenvolver iniciativa;
  • Avaliar amostras dos produtos;
  • Verificar disponibilidade de insumos e matérias-primas;
  • Operar equipamentos de transporte (empilhadeiras, esteiras, pontes e elevadores);
  • Desenvolver habilidade para trabalhar em equipe;
  • Solicitar execução de serviços complementares (pintura, limpeza, andaimes);
  • Misturar grânulos;
  • Medir material para corte;
  • Limpar filtros, telas, peneiras e centrífugas;
  • Substituir componentes e dispositivos auxiliares;
  • Imprimir marcas e gravuras em produtos;
  • Dosar materiais para preparação de mistura;
  • Resfriar matéria-prima;
  • Preencher listas de verificações preestabelecidas dos equipamentos e sistemas (checklist);
  • Organizar equipamentos;
  • Retirar equipamentos e sistemas de operação;
  • Consultar o programa de produção;
  • Ajustar trançadeira;
  • Alimentar máquinas e equipamentos;
  • Moldar materiais utilizando a matriz;
  • Conferir níveis de fluidos e temperatura dos equipamentos;
  • Combater incêndio;
  • Autodesenvolver-se;
  • Identificar vazamentos;
  • Conter vazamentos;
  • Sinalizar áreas de risco;
  • Instalar e retirar raquetes (dispositivo para bloqueio de fluxo);
  • Coletar amostras;
  • Manter hábitos de higiene e saúde no local de trabalho;
  • Monitorar vibração e ruído de equipamentos rotativos;
  • Selecionar meios para movimentação de materiais e insumos;
  • Autocontrolar-se;
  • Monitorar os ajustes realizados;
  • Combater emergências como brigadistas;
  • Inspecionar as instalações;
  • Ajustar equipamento de corte;
  • Inspecionar equipamentos de proteção coletivos (epc);
  • Identificar amostras;
  • Estender material para corte;
  • Acionar equipamentos;
  • Identificar produtos e insumos movimentados;
  • Preparar relatório de ocorrência de turno;
  • Retirar amostras dos insumos e produtos recebidos;
  • Cortar fios de polímeros;
  • Costurar lonas;
  • Segregar produtos não conformes;
  • Elaborar procedimentos operacionais;
  • Utilizar equipamento de proteção individual (epi);
  • Preparar equipamentos para manutenção;
  • Fixar tubulações;
  • Acondicionar materiais, insumos e produtos acabados;
  • Comunicar-se;
  • Verificar a validade da calibração dos instrumentos;
  • Tratar não-conformidades;
  • Identificar atividades prioritárias;
  • Efetuar manobras operacionais;
  • Requisitar materiais;
  • Identificar desvios em relação às condições padrões de operação;
  • Condicionar equipamentos para operação;
  • Ajustar variáveis de controle (pressão, vazão e temperatura);
  • Identificar causas da anomalia;
  • Analisar condições ambientais no trabalho;
  • Prestar primeiros-socorros;
  • Remover resíduos;
  • Identificar não-conformidades;
  • Emitir relatório de ocorrência de anomalia;
  • Conferir material e insumos recebidos;
  • Preparar silos para limpeza;
  • Responsabilizar-se;
  • Reprocessar produtos não conformes;
  • Aderir lonas e revestimentos;
  • Interpretar normas e procedimentos de segurança, saúde e meio ambiente;
  • Repor níveis de óleo;
  • Bloquear operação;
  • Praticar sinergia;
  • Inventariar materiais e insumos;
  • Interpretar análise das amostras laboratoriais;
  • Controlar o cumprimento dos índices técnicos;
  • Pesar quantidade dos materiais e insumos;
  • Ajustar condições operacionais dos equipamentos;
  • Monitorar a qualidade do produto durante o processo;
  • Ler instruções operacionais;
  • Testar a consistência das informações dos instrumentos;
  • Substituir equipamentos de proteção individual no seu prazo de validade;
  • Debater ações de segurança através do dds (05 minutos diários de reunião sobre segurança);
  • Separar material a ser movimentado, conforme formulação;
  • Liderar;
  • Sociabilizar-se;
  • Emitir permissão de trabalho (documento que orienta a execução para evitar riscos no trabalho);
  • Interpretar relatórios de turnos anteriores e instruções operacionais;
  • Apresentar sugestões de melhoria dos processos operacionais;
  • Registrar incidentes e acidentes;

Onde o Técnico de Operação (química pode trabalhar

Operadores de processos das indústrias de transformação de produtos químicos, petroquímicos atuam na fabricação de produtos químicos e de artigos de borracha e plástico como empregados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, sob supervisão permanente de técnicos ou engenheiros e no sistema de rodízio de turnos. Podem trabalhar em ambientes fechados ou a céu aberto, em grandes alturas ou em locais confinados. Em algumas atividades permanecem expostos a materiais tóxicos, ruído intenso, altas temperaturas, radiação e voltagem elevada.

Como trabalhar de Técnico de Operação (química

Para o exercício dessas ocupações requer-se ensino médio concluído e curso de qualificação profissional com cerca de quatrocentas horas- aula oferecido em centros de treinamento das próprias empresas ou em instituições de formação profissional. O pleno desempenho das atividades ocorre entre três e quatro anos de experiência profissional.

Quanto ganha um Técnico de Operação (química

O Técnico de Operação (química tem um salário inicial de R$ 1.383,80 podendo chegar a R$ 3.459,52 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 2.100,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 2.097,97 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Técnico de Operação (química).

Qual a jornada de trabalho do Técnico de Operação (química

O Técnico de Operação (química trabalha em média 43 horas por semana (215 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.