O que faz um Torrista (Petróleo)

Profissionais exercendo a profissão de Torrista (Petróleo) realizam pesquisa sísmica, perfuram poços em terra e mar. Avaliam área perfurada, extraem minerais líquidos e gasosos, realizam o processamento primário de separação de óleo, água e gás. Para a realização das atividades são utilizadas e emitidas informações orais e escritas, em conformidade a normas e procedimentos técnicos, de segurança, meio ambiente e saúde. Podem ministrar treinamentos no local de trabalho.

Algumas das principais funções da profissão

  • Liberar as áreas de acessos junto aos proprietários;
  • Realizar injeção de gás, água, vapor;
  • Acessar meios de comunicação (sistema de fax, telefone, intranet, internet, vídeo conferência);
  • Levantar os danos causados as propriedades para indenizações;
  • Realizar levantamento topográfico;
  • Armazenar petróleo tratado, gás natural e água residual;
  • Separar óleo e gás;
  • Descer coluna de perfuração;
  • Emitir relatórios (produção, movimentação, equipamentos e anomalias);
  • Instalar equipamentos para extração de minerais;
  • Montar coluna de produção;
  • Cimentar o poço;
  • Realizar coleta seletiva de lixo;
  • Prestar esclarecimentos às comunidades locais;
  • Retamponar o solo da área perfurada;
  • Demonstrar motivação;
  • Substituir equipamento no poço;
  • Montar coluna de teste de formação;
  • Retirar coluna de tubos de produção;
  • Testar equipamentos de segurança do poço;
  • Coletar amostras para análise;
  • Inspecionar as condições de epc (equipamentos de proteção coletiva);
  • Controlar propriedades do fluido da perfuração;
  • Tomar decisões;
  • Monitorar vazão do poço;
  • Realizar pesquisa de opinião junto à comunidade da área perfurada;
  • Lidar com situações de risco e anormalidades;
  • Colaborar com as revisões dos padrões;
  • Realizar as ações previstas no plano de contingência (averiguação das condições de funcionamento par;
  • Desenvolver a criatividade;
  • Proceder detonação;
  • Emitir formulário de liberação de equipamento para manutenção;
  • Desenvolver atividades de apoio (administrativa, transporte, mecânica, informática);
  • Realizar manutenção da bomba de lama ´fluid-end´ (válvulas, camisas, pistões, sedes, módulos);
  • Orientar a comunidade;
  • Interromper o serviço em situação de risco;
  • Consultar catálogos, manuais e procedimentos;
  • Efetuar manutenção nos acessórios de manobra (chave flutuante, cunha, elevadores, colar de segurança);
  • Realizar inspeção visual nos dutos;
  • Consultar boletim diário de ocorrências;
  • Coletar amostras da formação geológica;
  • Revestir o poço com tubos;
  • Desmontar a sonda;
  • Retirar coluna de perfuração;
  • Trocar experiências;
  • Realizar testes dos equipamentos de segurança;
  • Montar equipamentos para provocar fratura na rocha;
  • Comunicar-se de forma clara e objetiva;
  • Utilizar epi (equipamentos de proteção individual);
  • Injetar ácidos no poço para estimular a produção;
  • Estocar petróleo bruto;
  • Registrar dados sísmicos;
  • Estaleirar (reunir) coluna na torre de perfuração;
  • Instalar equipamento na superfície e subsuperfície;
  • Realizar abertura de picada;
  • Manter-se atualizado;
  • Desobstruir coluna de produção;
  • Identificar padrões recomendados e procedimentos de segurança;
  • Trabalhar em equipe;
  • Descer coluna de tubos de produção;
  • Montar sonda de produção;
  • Transferir minerais através de dutos;
  • Confirmar recebimento de mensagens encaminhadas;
  • Monitorar o processo de condução dos minerais para área de armazenamento;
  • Coletar amostras do material processado;
  • Realizar testes dos equipamentos de proteção e controle do poço;
  • Relatar ocorrências de turnos;
  • Estabelecer conexões dos tubos durante a perfuração;
  • Perfurar área para colocação de explosivos;
  • Desenvolver ações preventivas para minimizar os impactos ambientais;
  • Monitorar a coluna de perfuração;
  • Preparar fluidos de perfuração;
  • Operar caldeiras, estação de compressores e bombas de fluidos;
  • Consultar histórico e arquivo do poço;
  • Separar do óleo, água e impurezas;
  • Montar sonda;
  • Emitir comentários e opinião em reuniões;
  • Monitorar funcionamento dos equipamentos;
  • Montar equipamentos de segurança do poço;
  • Participar de simulação de acidente e emergência;

Onde o Torrista (Petróleo) pode trabalhar

Trabalhadores da extração de minerais líquidos e gasosos trabalham em empresas de prospecção e extração de minerais líquidos e gasosos como petróleo, gás e água. São empregados assalariados e trabalham sob supervisão permanente. As atividades podem ocorrer ambientes a céu aberto, ambientes confinados e em grandes alturas, com exposição a materiais em tóxicos, radiação e altas temperaturas. Em algumas situações estão expostos a peso excessivo, vibrações e esforço repetitivo. A forma de organização do trabalho predominante é em equipe e com supervisão ocasional.

Como trabalhar de Torrista (Petróleo)

O exercício do cargo de Torrista (Petróleo) requer ensino médio, mais curso técnico profissionalizante de nível médio, obtido em escolas profissionalizantes ou por meio de cursos ministrados pelas próprias empresas. Houve um aumento de exigência de qualificação nessa área. O pleno desempenho das atividades requer três a quatro anos de experiência para operador de sonda de percussão, operador de sonda rotativa e sondador de poços de petróleo e gás. Para plataformista (petróleo), sondador de poços (exceto petróleo e gás) e torrista (petróleo) o pleno desempenho das atividades ocorre entre um e dois anos de experiência.

Quanto ganha um Torrista (Petróleo)

O Torrista (Petróleo) tem um salário inicial de R$ 1.141,58 podendo chegar a R$ 2.574,31 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 1.425,15 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 1.586,03 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Torrista (Petróleo)).

Qual a jornada de trabalho do Torrista (Petróleo)

O Torrista (Petróleo) trabalha em média 39 horas por semana (195 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.