O que faz um Técnico em Eletroencefalografia

Profissionais exercendo a profissão de Técnico em Eletroencefalografia realizam exames de diagnóstico ou de tratamento, processam imagens e/ou gráficos, planejam atendimento, organizam área de trabalho, equipamentos e acessórios, operam equipamentos, preparam paciente para exame de diagnóstico ou de tratamento, atuam na orientação de pacientes, familiares e cuidadores e trabalham com biossegurança.

Algumas das principais funções da profissão

  • Submeter-se a exames periódicos;
  • Averiguar condições técnicas de equipamentos e acessórios;
  • Solicitar reposição de material;
  • Ajustar equipamento e acessórios ao paciente e ao tipo de exame e/ou ao tratamento;
  • Registrar exames realizados;
  • Trabalhar sob pressão;
  • Orientar paciente e/ou acompanhante e auxiliares sobre os procedimentos durante o exame;
  • Demonstrar compreensão para com o paciente;
  • Demonstrar atenção focada;
  • Demonstrar capacidade de comunicação verbal;
  • Distribuir tarefas;
  • Obter informações do paciente;
  • Transmitir segurança;
  • Eliminar interferência de outros aparelhos;
  • Retirar próteses móveis e adornos do paciente;
  • Isolar área de trabalho para exame;
  • Adequar a posição do paciente ao exame;
  • Aplicar procedimentos administrativos;
  • Demonstrar capacidade de negociação;
  • Receber pedido de exames e ou prontuário do paciente;
  • Demonstrar organização;
  • Remover paciente do equipamento;
  • Documentar exames;
  • Providenciar preparos adicionais do paciente;
  • Determinar a remoção de pessoas não envolvidas no exame;
  • Analisar qualidade técnica dos exames;
  • Providenciar limpeza e assepsia da sala e equipamentos;
  • Submeter o exame à apreciação médica;
  • Imobilizar o paciente;
  • Confirmar identidade do paciente;
  • Complementar exame;
  • Usar equipamento de proteção individual;
  • Instruir paciente sobre preparação para o exame;
  • Demonstrar proatividade;
  • Demonstrar capacidade de raciocínio analítico;
  • Deslocar equipamento portátil;
  • Identificar exame;
  • Demonstrar capacidade de liderança;
  • Discutir o caso com equipe de trabalho;
  • Demonstrar capacidade de manter sigilo;
  • Supervisionar equipe técnica;
  • Demonstrar capacidade de adaptação;
  • Acompanhar registro do traçado (gráfico) do exame;
  • Substituir medicamentos e materiais com validade vencida;
  • Averiguar a disponibilidade de material para exame;
  • Demonstrar habilidade motora fina;
  • Adaptar agenda para atendimento de pacientes prioritários;
  • Disponibilizar resultados de exame;
  • Paramentar-se;
  • Trabalhar em equipe;
  • Acompanhar reações do paciente a contrastes e/ou medicamentos;
  • Colocar eletrodos no paciente;
  • Acondicionar materiais perfurocortantes para descarte;
  • Orientar paciente sobre cuidados após o exame;
  • Verificar condições físicas, psicológicas e preparo do paciente;
  • Descrever as condições e reações do paciente durante o exame;
  • Solicitar manutenção dos equipamentos;
  • Solicitar presença de outros profissionais envolvidos no exame;
  • Calibrar equipamentos;
  • Higienizar o paciente;
  • Ordenar a sequência de exames;
  • Monitorar o paciente através de equipamento;

Onde o Técnico em Eletroencefalografia pode trabalhar

Tecnólogos e técnicos em métodos de diagnósticos e terapêutica exercem suas funções em clínicas médicas, odontológicas e oftalmológicas, ambulatórios, hospitais e laboratórios especializados. São empregados assalariados, com carteira assinada, porém alguns podem trabalhar como autônomos. Atuam em equipe, supervisionada por médicos, permanente e/ou ocasionalmente. Trabalham em rodízio de turnos, em ambientes fechados e a maioria sujeito à radiação e material tóxico.

Como trabalhar de Técnico em Eletroencefalografia

O exercício dessas ocupações requer formação superior em tecnologia em operação de equipamentos médicos, odontológicos e oftalmológicos e formação técnica de nível médio, exceto para o técnico em espirometria, cuja exigência é ensino médio, acrescido de curso específico, oferecidos por instituições de formação profissional, escolas técnicas e instituições formadoras em cursos superiores de tecnologia. Não é exigido experiência profissional para o nível tecnológico para o nível técnico, ocorre após experiência de menos de um ano na área, destacando que para o técnico em espirometria o pleno desempenho das atividades ocorre após a realização e análise de pelo menos 200 exames. Pode-se demandar aprendizagem profissional para Os cargos listados nesta família ocupacional.

Quanto ganha um Técnico em Eletroencefalografia

O Técnico em Eletroencefalografia tem um salário inicial de R$ 1.173,59 podendo chegar a R$ 2.382,07 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 1.587,98 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 1.545,78 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Técnico em Eletroencefalografia).

Qual a jornada de trabalho do Técnico em Eletroencefalografia

O Técnico em Eletroencefalografia trabalha em média 40 horas por semana (200 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.