O que faz um Supervisor Geral de Operação (metrô)

Profissionais exercendo a profissão de Supervisor Geral de Operação (metrô) coordenam a circulação de trens e veículos metroferroviários de manutenção, controlam e programam horários de circulação de trens. Administram estação e controlam atividades de pátios e terminais, operam equipamentos e sistemas elétricos. Prestam serviços de apoio ao usuário e supervisionam equipe de trabalho. Preenchem relatórios, planilhas, documentos de despacho, diário operacional e boletins de ocorrência.

Algumas das principais funções da profissão

  • Supervisionar uso de equipamentos de proteção individual (epi);
  • Executar cruzamentos e ultrapassagens de trens;
  • Disponibilizar áreas e equipamentos fixos operacionais para atividade de manutenção;
  • Prestar primeiros socorros;
  • Elaborar relatórios;
  • Demonstrar capacidade de atenção distribuída;
  • Solicitar autorização para circulação;
  • Escrever corretamente;
  • Conferir documentação da carga;
  • Efetuar depósitos bancários;
  • Informar ao cliente sobre carga em trânsito;
  • Operar sala de supervisão operacional;
  • Determinar posicionamento de vagão no ponto de carga e descarga;
  • Participar de reuniões com equipe;
  • Acionar corpo de bombeiros, polícia militar, ambulância e órgãos ambientais em caso de acidentes;
  • Operar equipamentos auxiliares (ventilação e bombas de água);
  • Entregar carga e documentação da carga ao cliente;
  • Solicitar manutenção de equipamentos fixos e trens;
  • Operar painel de controle local (pcl);
  • Inspecionar equipamentos elétricos;
  • Supervisionar segurança da estação;
  • Checar condições da carga (peso, acondicionamento e volume);
  • Recompor trem após manutenção;
  • Testar equipamentos elétricos;
  • Manobrar trens e veículos metro ferroviários de manutenção;
  • Registrar consumo de energia elétrica;
  • Autorizar circulação de trens;
  • Imobilizar trens com calço;
  • Preencher livro e boletins de ocorrência;
  • Isolar áreas e equipamentos fixos operacionais para manutenção;
  • Informar ao centro de controle ocorrências na estação;
  • Avaliar serviços prestados por terceiros;
  • Encaminhar usuário para atendimento médico emergencial;
  • Operar subestações elétricas;
  • Definir prioridades para circulação de trens;
  • Supervisionar serviços de atendimento ao público (bilheteria, catraca e informação);
  • Demonstrar clareza;
  • Dar provas de organização;
  • Conduzir deficientes físicos para embarque e desembarque;
  • Lacrar e relacrar vagões;
  • Controlar disponibilidade de trens da frota;
  • Digitar informações no sistema de dados operacionais;
  • Administrar estoque de material de consumo;
  • Encaminhar fatura de serviço prestado ao cliente;
  • Enviar objetos encontrados na estação para seção de achados e perdidos da central de recebimento;
  • Avaliar conduta funcional;
  • Informar ao cliente sobre anormalidades do sistema metro ferroviário;
  • Posicionar aparelhos de mudança de vias para circulação (manual ou telecomando);
  • Operar equipamento de controle de fluxo de passageiros (escada rolante, catraca, porta de acesso);
  • Despachar trens do pátio, conforme programação horária;
  • Determinar posicionamento de locomotivas para abastecimento e inspeção;
  • Demonstrar qualidade gestual;
  • Orientar empregados;
  • Ministrar treinamento aos empregados;
  • Expressar-se corretamente;
  • Adaptar linguagem;
  • Definir escala de férias;
  • Dar provas de liderança;
  • Formar trens (composição);
  • Consultar livro de ocorrências;
  • Agir com iniciativa;
  • Receber carga e documentação da carga;
  • Controlar circulação de trens e veículos metro ferroviários de manutenção nas linhas e pátios;
  • Distribuir tarefas;
  • Demonstrar dinamismo;
  • Conferir movimentação financeira;
  • Demonstrar capacidade de equilíbrio emocional;
  • Fazer apontamento de frequência de empregados;
  • Escalar empregados;
  • Recepcionar visitantes;
  • Preencher planilhas de movimentação de carga e descarga;
  • Avaliar desempenho de empregados;
  • Vender bilhetes de passagem;
  • Autorizar serviços de manutenção, limpeza e treinamentos nos trens;
  • Demonstrar capacidade de atenção difusa;
  • Executar estratégias para solução de problemas operacionais;
  • Orientar maquinistas e operadores de trens sobre anormalidades na via e trem;
  • Preencher documentos de despacho de carga e trens;
  • Consultar sistema de dados operacionais;
  • Planejar formação de trens;
  • Demonstrar objetividade;
  • Trabalhar em equipe;
  • Responder dúvidas e reclamações de clientes;
  • Requisitar reciclagem e treinamento de empregados;
  • Providenciar retorno de equipamentos fixos e trens para sua condição operacional;

Onde o Supervisor Geral de Operação (metrô) pode trabalhar

Técnicos em transportes metro ferroviários trabalham em ferrovias e metrôs, como empregados assalariados, com carteira assinada. Atuam em equipe na execução de trabalhos integrados e na elaboração de estratégias, com supervisão permanente. Trabalham em ambientes fechados e em rodízio de turnos. Podem estar sujeitos a situações estressantes e expostos a material inflamável.

Como trabalhar de Supervisor Geral de Operação (metrô)

O exercício dessas ocupações requer curso técnico de nível médio há tendência de aumento dos requisitos de qualificação, em função da modernização dos sistemas de controle operacional. Parte do aprendizado ocorre no próprio local de trabalho.

Quanto ganha um Supervisor Geral de Operação (metrô)

O Supervisor Geral de Operação (metrô) tem um salário inicial de R$ 1.169,46 podendo chegar a R$ 2.953,67 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 1.427,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 1.707,55 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Supervisor Geral de Operação (metrô)).

Qual a jornada de trabalho do Supervisor Geral de Operação (metrô)

O Supervisor Geral de Operação (metrô) trabalha em média 42 horas por semana (210 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.