O que faz um Professor Universitário na Área de Orientação Educacional

Profissionais exercendo a profissão de Professor Universitário na Área de Orientação Educacional ensinam, articulando o processo de ensino-aprendizagem na formação de profissionais da educação, planejam atividades relativas a cursos e pesquisas, realizam pesquisas científicas sobre o campo educacional, supervisionam formação pedagógica em estágios, orientam alunos, avaliam o trabalho acadêmico científico, coordenam atividades de ensino, pesquisa e extensão. Produzem material de trabalho, prestam atendimento às demandas da comunidade na área da educação escolar e não-escolar (educação formal e informal), participam de atividades administrativas, atualizam-se na área e comunicam-se oralmente e por escrito.

Algumas das principais funções da profissão

  • Avaliar trabalhos científicos;
  • Integrar equipe para o desenvolvimento de homepage;
  • Colaborar em comissões de avaliação;
  • Estabelecer relações com instituições e organizações da sociedade;
  • Discutir resultados de avaliação;
  • Dominar conhecimentos básicos de outros idiomas;
  • Orientar monitores;
  • Gerenciar convênios;
  • Prestar consultoria em ensino, pesquisa e extensão sobre a prática pedagógica;
  • Utilizar diferentes instrumentos de avaliação;
  • Realizar revisão da literatura na área;
  • Estudar a produção científica da área;
  • Prever fontes de financiamento;
  • Estudar diferentes formas de comunicação;
  • Orientar os projetos de pesquisa para a obtenção de títulos acadêmicos;
  • Produzir textos para uso pedagógico;
  • Atuar em projetos de extensão;
  • Organizar publicações;
  • Redigir publicações científicas;
  • Atuar em banca examinadora docente e discente;
  • Proferir palestras;
  • Planejar estágios;
  • Planejar aulas;
  • Estudar formas de interação presentes nas situações semipresenciais e virtuais de educação;
  • Planejar eventos e seminários;
  • Planejar a produção de materiais didáticos;
  • Participar de associações de classe;
  • Realizar eventos;
  • Planejar visitas a instituições, para pesquisa e observação da prática pedagógica;
  • Avaliar material didático;
  • Elaborar programas e cronogramas;
  • Dialogar com as entidades representativas;
  • Promover situações de ensino-aprendizagem a partir de fontes diversificadas de conhecimento;
  • Analisar os problemas da realidade brasileira;
  • Trabalhar com diferentes formas de interação humana;
  • Avaliar planos de ação pedagógica;
  • Problematizar a realidade educacional, para orientação de práticas pedagógicas;
  • Ler textos e relatórios produzidos pelos alunos;
  • Redigir relatórios de pesquisa;
  • Treinar auxiliares de pesquisa;
  • Mediar a relação do estagiário com a instituição;
  • Acompanhar experiências dos alunos em contextos de aprendizagem escolar e não escolar;
  • Programar cursos para atendimento a demandas externas;
  • Atender alunos, individualmente e em grupo;
  • Coordenar estágios;
  • Prever a utilização de recursos para o trabalho pedagógico;
  • Divulgar resultados de pesquisas;
  • Avaliar projetos de pesquisa;
  • Planejar os ambientes de aprendizagem;
  • Planejar pesquisas;
  • Discutir as práticas pedagógicas dos alunos;
  • Avaliar o desempenho dos alunos;
  • Planejar projetos de intervenção pedagógica;
  • Produzir transparências;
  • Coordenar projetos de extensão;
  • Avaliar cursos;
  • Elaborar projetos de pesquisas científicas, individualmente e em grupo;
  • Participar de atividades culturais;
  • Atuar em comissões editoriais;
  • Estudar implicações do uso de tecnologias de informação e comunicação, em situações de ensino;
  • Participar de congressos e eventos científicos;
  • Supervisionar a elaboração de planos e projetos de estágio;
  • Coordenar pesquisas;
  • Avaliar o desenvolvimento das aulas;
  • Orientar a elaboração de pesquisas dos alunos;
  • Coletar dados e materiais para pesquisa;
  • Orientar a reflexão sobre a prática educativa dos alunos nos estágios;
  • Participar de colegiados;
  • Supervisionar desenvolvimento de projetos de intervenção em realidades educacionais (escolar ou não);
  • Elaborar projetos de extensão;
  • Estabelecer relações com as instâncias hierárquicas da instituição;
  • Coordenar convênios;
  • Integrar equipe para o desenvolvimento de softwares e materiais mediáticos;
  • Organizar coletâneas;
  • Estabelecer relações com os órgãos de fomento;
  • Preencher relatórios de atividades;
  • Analisar dados e materiais de pesquisa;
  • Estudar propostas e políticas educacionais;
  • Elaborar pareceres;
  • Supervisionar a elaboração de relatórios de estágio dos alunos;
  • Analisar implicações do uso de novas tecnologias de informação e comunicação, em situações de ensino;
  • Atribuir notas e conceitos;
  • Orientar os alunos sobre procedimentos teórico-metodológicos;
  • Orientar alunos sobre campos de estágio;
  • Demonstrar postura ética;
  • Exercer cargos de direção;
  • Coordenar projetos pedagógicos;
  • Avaliar currículos e propostas pedagógicas;
  • Coordenar áreas, disciplinas e turmas;
  • Mapear campos para estágio;
  • Participar de comissões;
  • Desenvolver propostas de avaliação;
  • Coordenar grupos de pesquisa;
  • Trabalhar em equipe;
  • Sugerir composição de bancas examinadoras;
  • Compromissar-se social e politicamente;
  • Coordenar cursos;
  • Discutir abordagens metodológicas, na elaboração de pesquisa educacional;
  • Desenvolver situações de ensino-aprendizagem, com base na heterogeneidade dos alunos;
  • Planejar projetos de extensão;
  • Participar de reuniões;
  • Discutir com alunos as diferentes teorias e práticas do campo educacional;
  • Proporcionar situações de ensino-aprendizagem diversificadas aos alunos;
  • Avaliar políticas educacionais;
  • Prestar assessoria a órgãos públicos;
  • Demonstrar postura crítica;
  • Produzir vídeos;
  • Estudar a legislação educacional;
  • Constituir grupos de pesquisa;
  • Atuar no processo de seleção de alunos e professores;
  • Dominar a língua portuguesa;
  • Orientar alunos de iniciação científica;
  • Estudar outros idiomas;
  • Exercer cargos de representação;
  • Problematizar a realidade educacional, para produção de novos conhecimentos;
  • Avaliar o andamento e o resultado das prestações de serviços;
  • Coordenar reuniões;
  • Produzir artigos para divulgação;
  • Indicar fontes e procedimentos para o desenvolvimento do trabalho;
  • Dialogar com os professores da instituição;
  • Participar de associações científicas;
  • Ministrar cursos para atendimento às demandas externas;
  • Planejar utilização de novas tecnologias de informação e comunicação, em situações de ensino;
  • Coordenar equipes de trabalho;
  • Atuar em debates;
  • Produzir cartazes;
  • Sistematizar conteúdos;
  • Estudar a constituição de profissões no campo educacional;
  • Avaliar currículos de alunos;
  • Dialogar com os alunos;
  • Avaliar projetos de extensão;
  • Desenvolver habilidades na relação ensino-aprendizagem;
  • Coordenar eventos;
  • Produzir hipertextos;
  • Gerenciar projetos;
  • Auto avaliar-se;
  • Analisar pesquisas educacionais;
  • Avaliar a própria prática de pesquisa;
  • Orientar o planejamento do cronograma de trabalho dos alunos;
  • Produzir instrumentos de avaliação;
  • Desenvolver atitudes na relação ensino-aprendizagem;
  • Desenvolver atividades interativas;
  • Produzir planos de cursos e de aulas;
  • Realizar cursos de formação acadêmica (especialização, mestrado, doutorado etc.);
  • Sistematizar dados e materiais de pesquisa;

Onde o Professor Universitário na Área de Orientação Educacional pode trabalhar

Professores na área de formação pedagógica do ensino superior os cargos dessa família CBO exercem suas funções em instituições cujas atividades referem-se a ensino superior, cultura e pesquisa. Desenvolvem suas atividades na condição de trabalhadores assalariados, com carteira assinada, organizam-se em equipes de trabalho, atuam com supervisão ocasional, em ambientes fechados e em horários irregulares. Algumas vezes, podem trabalhar em posições desconfortáveis durante períodos de tempo.

Como trabalhar de Professor Universitário na Área de Orientação Educacional

Os ocupações requerem, no mínimo, o ensino superior completo, sendo importante a posse de títulos de pós-graduação ou especialização na área. É comum o ingresso e a progressão na carreira por intermédio de concursos, principalmente, na área pública. Dos titulares das ocupações espera-se que tenham experiência anterior de, pelo menos, cinco anos.

Qual a formação mais comum para a profissão

A formação universitária mais comum para um Professor Universitário na Área de Orientação Educacional é a formação em Pedagogia para entrar e atuar no mercado de trabalho atual.

Quanto ganha um Professor Universitário na Área de Orientação Educacional

O Professor Universitário na Área de Orientação Educacional tem um salário inicial de R$ 1.630,45 podendo chegar a R$ 8.468,12 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 3.627,20 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 4.175,74 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Professor Universitário na Área de Orientação Educacional).

Qual a jornada de trabalho do Professor Universitário na Área de Orientação Educacional

O Professor Universitário na Área de Orientação Educacional trabalha em média 25 horas por semana (125 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.