O que faz um Professor de Arquivologia do Ensino Superior

Profissionais exercendo a profissão de Professor de Arquivologia do Ensino Superior preparam e ministram aula nas áreas de ciências humanas no ensino superior e orientam trabalhos acadêmicos, elaboram planos de ensino, supervisionam estágio, avaliam processos de ensino-aprendizagem, participam de processos de seleção e avaliação. Prestam assessoria técnico-científica, exercem atividades acadêmico-administrativas e constroem projetos político-pedagógicos. Podem desenvolver atividades de pesquisa e extensão.

Algumas das principais funções da profissão

  • Demonstrar capacidade de observação;
  • Controlar frequência;
  • Coordenar programas de estágio;
  • Orientar formulação do projeto;
  • Prestar serviços à comunidade;
  • Identificar demandas da sociedade;
  • Avaliar iniciação ao exercício profissional;
  • Acompanhar atividades de estágio;
  • Aplicar instrumentos de avaliação;
  • Arguir candidatos à titulação;
  • Elaborar plano de aula;
  • Examinar monografias, teses e dissertações;
  • Organizar atividades didáticas;
  • Avaliar produção do orientado;
  • Elaborar programas e projetos de estágio;
  • Demonstrar capacidade de lidar com a diversidade;
  • Responder perguntas;
  • Exercer papéis de cidadania;
  • Demonstrar capacidade de mobilização;
  • Participar de eventos técnico-científicos;
  • Definir objetivos da disciplina;
  • Realizar reuniões de orientação;
  • Demonstrar capacidade de expressão oral;
  • Comentar resultados de avaliações;
  • Provocar reflexões;
  • Rever prática docente;
  • Rever bibliografia;
  • Elaborar material didático;
  • Assessorar projetos de instituições;
  • Demonstrar capacidade de estabelecer interlocuções;
  • Examinar produto final;
  • Prever formas de avaliação;
  • Coordenar projetos de extensão;
  • Demonstrar capacidade de problematizar;
  • Participar da elaboração de editais para concursos;
  • Orientar iniciação ao exercício profissional;
  • Demonstrar capacidade de polemização;
  • Executar pesquisas;
  • Elaborar instrumentos de avaliação;
  • Organizar seminários;
  • Selecionar candidatos em concursos;
  • Demonstrar capacidade de motivação;
  • Definir linhas de pesquisa e extensão;
  • Demonstrar capacidade de redação;
  • Orientar formação de acervos;
  • Readequar processo de ensino-aprendizagem;
  • Chefiar departamentos acadêmicos;
  • Emitir laudos e pareceres técnicos;
  • Divulgar resultados;
  • Utilizar recursos audiovisuais;
  • Trabalhar com a comunidade;
  • Fiscalizar a aplicação das normas de estágio;
  • Participar de órgãos colegiados;
  • Dar entrevistas;
  • Apresentar conteúdos de disciplinas;
  • Definir política de capacitação docente;
  • Organizar publicações;
  • Coordenar projetos de pesquisa;
  • Definir atividades extra-sala;
  • Acompanhar execução do projeto;
  • Indicar bibliografia;
  • Identificar campos de estágio;
  • Avaliar provas;
  • Definir perfil profissional;
  • Elaborar projetos de pesquisa;
  • Elaborar projetos de extensão;
  • Julgar trabalhos acadêmicos;
  • Avaliar trabalhos acadêmicos programados;
  • Demonstrar capacidade de argumentação;
  • Definir ementas e programas;
  • Identificar perfil dos docentes;
  • Definir critérios de avaliação;
  • Emitir parecer sobre textos para fins de publicação;
  • Selecionar recursos didáticos;
  • Acompanhar desenvolvimento de planos de ensino;
  • Preparar orientando para exame de qualificação;
  • Selecionar candidatos ao ingresso em cursos de pós-graduação;
  • Atualizar dados e informações conjunturais;
  • Demonstrar criatividade;
  • Definir perfil dos docentes;
  • Formular questões;
  • Manter-se atualizado;
  • Avaliar currículos e memoriais;
  • Demonstrar capacidade de síntese;
  • Construir política de estágio;
  • Supervisionar atividades de campo;
  • Orientar construção de objeto de pesquisa;
  • Realizar experiências extra-sala;
  • Pesquisar bibliografia;
  • Prestar consultoria;
  • Avaliar execução de pesquisa;
  • Propor a realização de convênios e parcerias;
  • Elaborar trabalhos científicos;
  • Organizar eventos acadêmicos;
  • Selecionar recursos humanos;
  • Gerenciar recursos financeiros e materiais;
  • Coordenar núcleos, programas, laboratórios e oficinas;
  • Analisar resultados de avaliações;
  • Prestar contas dos recursos financeiros;
  • Integrar comissões;
  • Examinar relatórios de campo;
  • Montar cronograma;
  • Elaborar relatórios;
  • Avaliar ementas e programas;
  • Selecionar bibliografia;
  • Realizar atividades em laboratórios e oficinas;
  • Orientar pesquisadores;
  • Construir currículo do curso;
  • Elaborar textos;
  • Verificar frequência;
  • Definir diretrizes de avaliação do curso;
  • Captar recursos para pesquisa e extensão;
  • Sugerir bibliografia;
  • Realizar leituras;
  • Definir perfil dos alunos;
  • Demonstrar capacidade de reflexão;
  • Avaliar participação em classe e extraclasse;
  • Preparar orientando para defesa do trabalho;
  • Definir metodologia;
  • Discutir textos;
  • Avaliar execução de atividades de extensão;
  • Demonstrar capacidade de contextualização;
  • Coordenar cursos;
  • Propor minutas de editais, portarias e resoluções;
  • Promover debates;

Onde o Professor de Arquivologia do Ensino Superior pode trabalhar

Professores de ciências humanas do ensino superior exercem suas funções em instituições e entidades de ensino e são contratados na condição de trabalhadores com carteira assinada. Organizam-se em equipes de trabalho e também podem atuar de forma individual. Trabalham com supervisão ocasional, em ambientes fechados e a céu aberto, geralmente no período diurno. O exercício do trabalho pode se dar de forma presencial e à distância. Podem estar sujeitos a situação de estresse, devido a trabalhos sob pressão.

Como trabalhar de Professor de Arquivologia do Ensino Superior

O exercício dessas ocupações requer ensino superior completo e títulos de pós-graduação ou especialização na área. É comum o ingresso e a progressão na carreira por intermédio de concursos, principalmente, na área pública. O pleno desempenho das atividades, como professor-titular, geralmente ocorre após três ou quatro anos de experiência.

Quanto ganha um Professor de Arquivologia do Ensino Superior

Desculpe mas no momento não temos dados salariais para a profissão de Professor de Arquivologia do Ensino Superior.