O que faz um Perito Criminalístico

Profissionais exercendo a profissão de Perito Criminalístico elaboram laudo pericial criminal, organizando provas e determinando as causas dos fatos. Examinam locais de crime, buscando evidências, selecionando e coletando indícios materiais e encaminhando peças para exames com ou sem quesitos. Reconstituem fatos, analisam peças, materiais, documentos e outros vestígios relacionados a crimes, fotografando e identificando as peças e materiais e definindo tipo de exame. Efetuam medições e ensaios laboratoriais, utilizando e desenvolvendo técnicas e métodos científicos.

Algumas das principais funções da profissão

  • Elaborar especificações técnicas de equipamentos;
  • Indicar autoria dos fatos;
  • Redigir laudo;
  • Prestar esclarecimento em juízo;
  • Solicitar exames a laboratórios especializados;
  • Acondicionar indícios;
  • Preparar amostra;
  • Verificar consequências dos fatos;
  • Ministrar aulas;
  • Demonstrar bom senso;
  • Manter equilíbrio emocional;
  • Observar o local;
  • Manter-se atualizado;
  • Demonstrar dedicação;
  • Pesquisar ciência forense;
  • Registrar requisição;
  • Realizar ensaios instrumentais;
  • Pesquisar metodologia;
  • Coletar indícios materiais;
  • Participar de eventos na área (congressos, seminários);
  • Solicitar informações suplementares (quebra de sigilo, documentos...);
  • Determinar causas dos fatos;
  • Trabalhar com segurança;
  • Requisitar meio de transporte;
  • Realizar ensaios de líquido seminal;
  • Estabelecer prioridades de atendimento;
  • Responder quesitos formulados por autoridades requisitantes;
  • Manter intercâmbio com instituições e empresas;
  • Conferir equipamentos e instrumentos de trabalho;
  • Medir grandezas elétricas;
  • Realizar ensaios de eficácia;
  • Analisar autos do processo;
  • Medir níveis de radiação eletromagnéticas;
  • Esterilizar materiais;
  • Demonstrar capacidade de observação;
  • Organizar provas;
  • Encaminhar peças para exames com ou sem quesitos;
  • Concluir laudo;
  • Orientar equipe de apoio (fotógrafo, desenhista...);
  • Obter relatos das partes envolvidas e de terceiros;
  • Definir tipo de exame;
  • Requerer interdição do local;
  • Juntar relatórios de análises laboratoriais;
  • Fornecer dados para fins estatísticos;
  • Preparar reagentes;
  • Reconstituir fatos;
  • Validar metodologia;
  • Testar metodologias;
  • Fotografar peças;
  • Medir áreas;
  • Efetuar cálculos científicos;
  • Realizar ensaios de sangue;
  • Demonstrar perspicácia;
  • Lacrar equipamento;
  • Agir com ética;
  • Conferir a área isolada;
  • Colher dados topográficos;
  • Medir frequência de ondas eletromagnéticas;
  • Mencionar metodologia aplicada na análise das provas;
  • Realizar ensaios de dna;
  • Manter sigilo;
  • Calcular velocidade e energia do projétil;
  • Realizar ensaios toxicológicos;
  • Adotar novas tecnologias;
  • Avaliar condições de segurança no local dos fatos;
  • Calibrar equipamentos;
  • Realizar ensaios de resistência;
  • Utilizar epi;
  • Pesquisar elementos microscópicos;
  • Requerer relatórios de análise;
  • Transportar indícios coletados;
  • Requerer apreensão de provas;
  • Expressar-se com clareza e objetividade;
  • Listar conteúdos de provas;
  • Avaliar resultados das análises;
  • Medir frenagem;
  • Avaliar bens;
  • Qualificar parâmetros físico - químicos (sólidos, líquidos e gases);
  • Descrever o local;
  • Quantificar parâmetros físico - químicos (sólidos, líquidos e gases);
  • Analisar material audiovisual (fitas, fotos...);
  • Selecionar indícios materiais;
  • Atender requisição de exame complementar;
  • Demonstrar paciência;
  • Buscar evidências;
  • Demonstrar solidariedade;
  • Realizar ensaios de funcionamento;
  • Obter padrões de confronto;
  • Medir intensidade de luz (luximetria);
  • Confrontar padrões e amostras;
  • Medir ruídos (decibelimetria);
  • Delimitar isolamento (área, período, pessoas, comunicações...);
  • Analisar combustíveis;
  • Preparar equipamento;
  • Estruturar laudo;
  • Medir projétil e armas;
  • Consultar normas técnicas e legislação;
  • Medir peças;
  • Convocar equipe de apoio;
  • Identificar peças e materiais;
  • Analisar patrimônio;
  • Verificar teor da requisição;

Onde o Perito Criminalístico pode trabalhar

Peritos criminais esses profissionais atuam nas áreas ligadas à administração pública, defesa e seguridade social. São assalariados e se organizam em equipe. Trabalham com supervisão ocasional, em ambiente fechado, a céu aberto e em veículos. Seus horários de trabalho são variados. Podem ficar longos períodos em posições desconfortáveis, trabalhar sob pressão, (levando-os a situação de estresse constante) e expostos a materiais tóxicos, radiação e ruído intenso.

Como trabalhar de Perito Criminalístico

O acesso à ocupação é feito por concurso público, que requer curso superior completo. Em seguida, devem cursar e ser aprovados no Curso de Formação de Peritos Criminais.

Quanto ganha um Perito Criminalístico

O Perito Criminalístico tem um salário inicial de R$ 1.243,00 podendo chegar a R$ 29.712,83 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 5.732,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 9.526,25 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Perito Criminalístico).

Qual a jornada de trabalho do Perito Criminalístico

O Perito Criminalístico trabalha em média 38 horas por semana (190 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.

Categoria Profissional: