O que faz um Operador Industrial Nas Instalações Químicas

Profissionais exercendo a profissão de Operador Industrial Nas Instalações Químicas preparam passagem de turno e controlam etapas do processo químico e petroquímico. Realizam análises químicas e físicas e zelam pelo funcionamento das instalações e equipamentos. Operam instalações industriais e equipamentos de campo e controlam fluxo de materiais e insumos. Trabalham em conformidade a normas de segurança, higiene, qualidade e preservação ambiental.

Algumas das principais funções da profissão

  • Registrar incidentes e acidentes;
  • Identificar amostras dos produtos;
  • Testar equipamento de comunicação;
  • Acondicionar materiais e insumos;
  • Interpretar os resultados de testes químicos e físicos;
  • Registrar ocorrências de turno;
  • Conferir direcionamento de fluxo de linha;
  • Definir material para formulação;
  • Revezar equipamentos rotativos;
  • Inserir informações dos equipamentos de campo no painel;
  • Interpretar dados dos instrumentos de controle;
  • Aferir instrumentos de análise;
  • Elaborar relatórios das ocorrências operacionais;
  • Verificar sintonia de instrumentação;
  • Registrar alterações feitas no processo;
  • Identificar tipos de equipamentos de segurança para execução de tarefas;
  • Registrar não conformidades;
  • Demonstrar dinamismo;
  • Interpretar relatórios;
  • Monitorar a execução de serviços por terceiros;
  • Remover materiais excedentes;
  • Demonstrar bom relacionamento interpessoal;
  • Discutir ações de segurança através do dds;
  • Liderar;
  • Comunicar-se;
  • Elaborar relatórios e rotinas operacionais;
  • Compor brigada de emergência;
  • Sinalizar áreas de risco;
  • Conferir material e insumos recebidos;
  • Requisitar materiais para execução de serviços de manutenção;
  • Monitorar vibração e ruído de equipamentos rotativos;
  • Verificar disponibilidade de materiais e insumos;
  • Liberar equipamentos para manutenção (preenchendo documentos);
  • Demonstrar iniciativa;
  • Limpar local de trabalho;
  • Operar equipamentos de transporte (empilhadeiras, esteiras, pontes e elevadores);
  • Operar equipamentos de campo e painel de controle;
  • Conferir equipamento de combate a incêndio;
  • Inventariar insumos, matéria-prima e produtos;
  • Selecionar meios de transporte para movimentação de materiais e insumos;
  • Realizar reparos de manutenção (ex.: troca de gaxeta, substituir filtros);
  • Efetuar correções dos equipamentos;
  • Treinar equipes de trabalho (no ambiente de trabalho);
  • Prestar primeiros socorros;
  • Preparar equipamentos para serviços de manutenção;
  • Identificar ocorrências do turno anterior;
  • Elaborar relatório de manutenção e processo;
  • Preencher listas de verificações preestabelecidas dos equipamentos e sistemas;
  • Combater (mitigar) emanações;
  • Realizar atividades operacionais acessórias;
  • Preparar sistema para fluxo de materiais e insumos;
  • Buscar autodesenvolvimento;
  • Demonstrar criatividade;
  • Interpretar normas e procedimentos de segurança;
  • Controlar geração de efluentes;
  • Emitir permissão de trabalho;
  • Identificar programas de produção;
  • Identificar condições inseguras no trabalho;
  • Certificar-se para realizar análises laboratoriais;
  • Efetuar testes químicos e físicos de rotinas (aferição das condições do processo);
  • Demonstrar responsabilidade;
  • Combater incêndios;
  • Monitorar variáveis (pressão, vazão, temperatura);
  • Isolar áreas de risco;
  • Coletar amostras dos produtos;
  • Acionar equipamentos rotativos;
  • Demonstrar sociabilidade;
  • Registrar dados da análises;
  • Manter autocontrole;
  • Relacionar equipamentos e área para realizar manutenção;
  • Avaliar situações de risco;
  • Descartar amostras analisadas (conforme normas ambientais);
  • Verificar a validade da calibração dos instrumentos;
  • Energizar e desenergizar gavetas de ccm;
  • Registrar dados dos materiais e insumos;
  • Utilizar equipamentos de proteção individual;
  • Empregar técnicas de combate à emergência;
  • Identificar não conformidades;
  • Analisar condições de funcionamento dos equipamentos;
  • Identificar perdas no processo;

Onde o Operador Industrial Nas Instalações Químicas pode trabalhar

Operadores polivalentes de equipamentos em indústrias químicas, petroquímicas atuam na fabricação de produtos químicos, coque, refino de petróleo, combustíveis nucleares e álcool como assalariados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, sob supervisão ocasional dos engenheiros. Podem trabalhar em locais fechados, a céu aberto ou em veículos, por rodízio de turnos, em ambiente confinado, subterrâneo ou em grandes alturas. Em algumas atividades permanecem expostos a materiais tóxicos, ruído intenso, altas temperaturas, radiação, vibração e partículas de suspensão. Atuam de forma ampla e variada e são conhecidos, em seu meio, como profissionais com habilidades diferenciadas (multi-skill).

Como trabalhar de Operador Industrial Nas Instalações Químicas

Para o exercício dessas ocupações requer-se curso técnico de nível médio em química, petroquímica ou áreas afins oferecido por instituições de formação profissional ou escolas técnicas. O pleno desempenho das atividades ocorre após cinco anos de experiência profissional.

Quanto ganha um Operador Industrial Nas Instalações Químicas

O Operador Industrial Nas Instalações Químicas tem um salário inicial de R$ 1.448,69 podendo chegar a R$ 2.174,36 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 1.595,46 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 1.587,63 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Operador Industrial Nas Instalações Químicas).

Qual a jornada de trabalho do Operador Industrial Nas Instalações Químicas

O Operador Industrial Nas Instalações Químicas trabalha em média 43 horas por semana (215 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.