O que faz um Operador de Telecomunicações de Correios

Profissionais exercendo a profissão de Operador de Telecomunicações de Correios organizam a rotina de serviços e realizam entrada e transmissão de dados, operando teleimpressoras e microcomputadores, registram e transcrevem informações, operando máquinas de escrever, atendem necessidades do cliente interno e externo. Supervisionam trabalho e equipe e negociam serviço com cliente.

Algumas das principais funções da profissão

  • Encaminhar cliente para outra área;
  • Validar desempenho do programa de entrada de dados;
  • Revisar serviço (verificação);
  • Identificar-se no sistema (logar-se);
  • Verificar estado de funcionamento do equipamento (sistema operante, compatibilidade da senha);
  • Revelar capacidade de concentração;
  • Conectar-se ao programa de entrada de dados;
  • Relatar informações para próximo turno;
  • Manter sigilo;
  • Reportar dados inválidos à supervisão;
  • Formatar texto;
  • Guardar material de expediente;
  • Trabalhar em equipe;
  • Trabalhar com ética profissional;
  • Identificar necessidade do cliente;
  • Armazenar dados (mensagens);
  • Evidenciar habilidade motora;
  • Seguir instruções técnicas;
  • Preservar integridade dos dados;
  • Propor soluções ao cliente;
  • Administrar cronograma;
  • Administrar tempo;
  • Indicar alternativas para execução do trabalho;
  • Transmitir dados (mensagens);
  • Treinar equipe;
  • Apontar pendência do material e da documentação;
  • Conferir material e documentação (quantidade, legibilidade);
  • Separar material e documentação;
  • Dar suporte técnico ao cliente;
  • Estimar prazo;
  • Demonstrar capacidade de memorização;
  • Motivar equipe;
  • Apresentar acuidade visual;
  • Organizar espaço da página digitada ou datilografada;
  • Comunicar necessidade de adequação no ambiente de trabalho;
  • Tomar decisão;
  • Ler relatório da mudança de turno;
  • Planejar trabalho;
  • Testar desempenho do programa de entrada de dados;
  • Abrir ocorrência (chamado técnico);
  • Sugerir melhorias no programa de entrada de dados;
  • Arquivar documentação;
  • Receber dados (mensagens);
  • Preencher planilha de produção;
  • Corrigir erro de digitação;
  • Atentar para estado emocional do funcionário;
  • Interpretar orientações técnicas e administrativas;
  • Verificar prioridade e pendência;
  • Entrar dados por digitação e datilografia;
  • Contatar cliente para esclarecimento de dados;

Onde o Operador de Telecomunicações de Correios pode trabalhar

Operadores de equipamentos de entrada e transmissão de dados trabalham em serviços de apoio administrativo nos mais variados ramos de atividade, em serviços de informática e de correio. São assalariados, com carteira assinada, exceto o digitador que pode trabalhar por conta-própria. Atuam de forma individual e em equipe, sob supervisão, em ambiente fechado e em sistema de rodízio de turnos.

Como trabalhar de Operador de Telecomunicações de Correios

O exercício dessas ocupações requer escolaridade de ensino médio e curso básico de profissionalização de até duzentas horas-aula. O pleno desempenho das atividades ocorre com menos de um ano de experiência e no caso de supervisor, após dois anos.

Quanto ganha um Operador de Telecomunicações de Correios

O Operador de Telecomunicações de Correios tem um salário inicial de R$ 1.179,59 podendo chegar a R$ 1.736,44 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 1.234,77 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 1.266,78 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Operador de Telecomunicações de Correios).

Qual a jornada de trabalho do Operador de Telecomunicações de Correios

O Operador de Telecomunicações de Correios trabalha em média 40 horas por semana (200 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.