O que faz um Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos)

Profissionais exercendo a profissão de Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos) reparam componentes de superestrutura e infra-estrutura das vias. Corrigem geometria das vias por meio de equipamentos, analisando informações topográficas e geométricas, preparando e ajustando máquinas e corrigindo desníveis. Esmerilham trilhos, desguarnecem lastros, removendo os que estiverem contaminados e recolocando aqueles que estiverem tratados. Realizam soldagem aluminotérmica, examinando, cortando, nivelando, alinhando, soldando e esmerilhando trilhos. Inspecionam vias e providenciam manutenção de máquinas e equipamentos. Desenvolvem as atividades comunicando-se com outras áreas e com o centro de controle operacional e trabalham seguindo normas de segurança, qualidade e proteção ao meio ambiente.

Algumas das principais funções da profissão

  • Examinar condições das ferramentas;
  • Definir riscos em potencial;
  • Demonstrar bom senso;
  • Respeitar limites de velocidade da via;
  • Checar equipamento (check list);
  • Regular ângulos dos motores de esmerilhamento;
  • Deslocar-se a pé pela via;
  • Aplicar procedimentos de segurança;
  • Remover lastro contaminado;
  • Conduzir trem esmerilhador até local de trabalho;
  • Trabalhar em equipe;
  • Relatar horas e atividades desenvolvidas pela equipe;
  • Encaminhar veículo para manutenção;
  • Alimentar a máquina com dados geométricos;
  • Regularizar lastro;
  • Sinalizar vias;
  • Medir desgaste ondulatório de trilhos;
  • Trocar informações com outras áreas;
  • Remover equipamentos à oficina;
  • Operar esmerilhadeira para ação corretiva e ou preventiva em trilhos;
  • Definir método de esmerilhamento;
  • Regular pressão dos motores de esmerilhamento;
  • Checar água de irrigação (máquina esmerilhadora) e extintores;
  • Carregar materiais diversos;
  • Monitorar instrumentos de correção de via;
  • Usar equipamentos de segurança individual;
  • Interditar linha em situação de emergência;
  • Examinar condições gerais do veículo;
  • Analisar programação de inspeção;
  • Anotar detalhes do serviço executado;
  • Corrigir alinhamento;
  • Posicionar carro esmerilhador na via;
  • Mapear áreas de risco;
  • Pedir autorização para interdição de linha;
  • Recolher objetos estranhos da via;
  • Corrigir desnível transversal dos trilhos;
  • Avaliar local de depósito do rejeito;
  • Definir prioridades;
  • Descarregar trilhos;
  • Demonstrar responsabilidade;
  • Relatar falhas detectadas no ato de inspeção;
  • Comunicar ao centro de controle operacional o local de serviço;
  • Operar veículo de inspeção geométrica da via;
  • Injetar produtos químicos nos dormentes;
  • Socar lastro;
  • Avaliar qualidade do esmerilhamento do trilho;
  • Peneirar brita para remoção de detritos;
  • Encaminhar para aferição equipamentos, máquinas e instrumentos de trabalho;
  • Monitorar pressão e ângulos dos motores de esmerilhamento;
  • Recolocar lastro tratado;
  • Analisar informações topográficas e geométricas da via;
  • Demonstrar senso de ética;
  • Descarregar britas e dormentes;
  • Classificar nível de falhas;
  • Trocar peças danificadas;
  • Examinar o estado do trilho;
  • Inteirar-se do trabalho a ser realizado;
  • Determinar profundidade de corte da máquina desguarnecedora;
  • Auxiliar técnicos na aferição de máquinas;
  • Estabelecer limite de nivelamento e alinhamento da via;
  • Reforçar a marcação de parâmetros na via;
  • Reciclar-se;
  • Monitorar o painel de controle da máquina desguarnecedora;
  • Comunicar ocorrências;
  • Lavar vias;
  • Corrigir nivelamento longitudinal;
  • Preparar a máquina;
  • Atentar para as normas de segurança;
  • Esmerilhar componentes de amv, trilhos e juntas;
  • Varrer lastro;
  • Isolar áreas;
  • Ajustar dados da máquina;
  • Controlar a velocidade de trabalho (do esmerilhamento);
  • Participar da elaboração da programação de trabalho;
  • Confirmar liberação de via para manutenção;
  • Instalar máquina de desguarnecimento na via;
  • Demonstrar iniciativa;
  • Relacionar pendências do equipamento;
  • Demonstrar capacidade de concentração;

Onde o Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos) pode trabalhar

Conservadores de vias permanentes (trilhos) trabalham em empresas de transporte terrestre como empregados com carteira assinada. Organizam-se em equipe, em locais abertos, no horário noturno. Porém,o trabalho em horário diurno também é possível, especialmente no caso dos conservadores de vias. Normalmente trabalham em locais subterrâneos e sujeitos a posições desconfortáveis durante longos períodos. O soldador aluminotérmico pode permanecer exposto a ruído intenso e altas temperaturas.

Como trabalhar de Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos)

Para o exercício das ocupações de conservador de vias permanentes e soldadores aluminotérmicos requer-se ensino fundamental completo. No caso do operador de máquinas especiais e do inspetor de vias permanentes, exige-se ensino médio completo e curso básico de qualificação com até duzentas horas-aula, ministrado em escola profissionalizante. As empresas dão preferência a trabalhadores que tenham cursos de mecânica geral e ou elétrica, especialmente no caso do inspetor de vias permanentes. O pleno desempenho das atividades ocorre com a prática profissional no posto de trabalho.

Quanto ganha um Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos)

O Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos) tem um salário inicial de R$ 1.271,80 podendo chegar a R$ 2.542,21 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 1.692,22 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 1.674,21 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos)).

Qual a jornada de trabalho do Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos)

O Operador de Máquinas e Veículos Especiais na Conservação de Vias Permanentes (trilhos) trabalha em média 44 horas por semana (220 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.