O que faz um Oncologista (clínico)

Profissionais exercendo a profissão de Oncologista (clínico) realizam consultas e atendimentos médicos, tratam pacientes e clientes, implementam ações de prevenção de doenças e promoção da saúde tanto individuais quanto coletivas, coordenam programas e serviços em saúde, efetuam perícias, auditorias e sindicâncias médicas, elaboram documentos e difundem conhecimentos da área médica.

Algumas das principais funções da profissão

  • Organizar cursos de educação continuada;
  • Solicitar interconsultas;
  • Praticar psicoterapia;
  • Receitar drogas, medicamentos , fitoterápicos e antroposóficos;
  • Avaliar atos médicos;
  • Realizar visitas domiciliares;
  • Realizar propedêutica instrumental;
  • Selecionar equipe de trabalho;
  • Realizar exames complementares;
  • Realizar visitas hospitalares;
  • Efetuar necropsias;
  • Demonstrar altruísmo;
  • Redigir trabalhos científicos;
  • Descrever ações médicas;
  • Demonstrar capacidade de adequar linguagem;
  • Fiscalizar treinamento médico;
  • Implementar medidas de segurança e proteção do trabalhador;
  • Montar escala de serviços;
  • Levantar hipóteses diagnósticas;
  • Demonstrar empatia;
  • Demonstrar tolerância;
  • Desenvolver equipamentos;
  • Constituir comissões médico-hospitalares;
  • Monitorar estado de saúde de pacientes hospitalizados;
  • Selecionar pacientes em situações específicas;
  • Executar tratamento com agentes químicos;
  • Diagnosticar estado de saúde de pacientes e clientes;
  • Praticar intervenções clínicas;
  • Executar tratamento com agentes biológicos;
  • Demonstrar rapidez de percepção;
  • Elaborar documentos de imagem;
  • Realizar atendimento em consultório;
  • Demonstrar capacidade de preservar sigilo médico;
  • Solicitar exames complementares;
  • Participar de encontros, congressos e demais eventos científicos;
  • Vistoriar equipamentos e instalações;
  • Demonstrar capacidade de acolhimento;
  • Preparar material didático;
  • Supervisionar propedêutica instrumental;
  • Executar terapêutica genética;
  • Gerenciar recursos financeiros;
  • Demonstrar imparcialidade de julgamento;
  • Realizar diagnóstico de saúde da comunidade;
  • Colher depoimentos;
  • Auxiliar normatização de atividades médicas;
  • Divulgar informações em mídia;
  • Distribuir tarefas;
  • Estabelecer prognóstico;
  • Rastrear doenças prevalentes;
  • Indicar tratamento;
  • Assistir parto;
  • Examinar documentos médicos;
  • Estabelecer plano de ações em saúde;
  • Realizar exame físico;
  • Realizar atendimentos de urgência e emergência;
  • Elaborar relatórios;
  • Desenvolver pesquisas em medicina;
  • Executar transplantes de órgãos e tecidos;
  • Demonstrar capacidade de liderança;
  • Retirar órgãos e tecidos;
  • Demonstrar ações médicas;
  • Preencher formulários de notificação compulsória;
  • Acompanhar plano terapêutico do usuário;
  • Ministrar aulas;
  • Encaminhar usuários a outros profissionais;
  • Implantar órteses e próteses;
  • Especificar insumos;
  • Cultivar órgãos e tecidos;
  • Elaborar protocolos de condutas médicas;
  • Prescrever medidas higiênico-dietéticas;
  • Supervisionar atos médicos;
  • Reabilitar pacientes e clientes (condições biopsicossociais);
  • Indicar necessidade de internação;
  • Emitir pareceres;
  • Prescrever imunização;
  • Emitir atestados;
  • Guardar órgãos e tecidos;
  • Implementar medidas de saúde ambiental;
  • Emitir receitas;
  • Demonstrar capacidade de lidar com situações adversas;
  • Prestar consultorias e assessorias;
  • Demonstrar capacidade de atenção seletiva;
  • Organizar encontros científicos;
  • Prestar depoimentos;
  • Desenvolver procedimentos;
  • Participar de diretorias de associações, entidades de classe e conselhos de saúde;
  • Elaborar prontuários;
  • Promover atividades educativas;
  • Emitir declarações;
  • Avaliar conhecimento de especialistas;
  • Preparar projetos de pesquisa;
  • Praticar procedimentos intervencionais;
  • Supervisionar equipe de saúde;
  • Elaborar material informativo e normativo;
  • Emitir laudos;
  • Planejar tratamento de clientes e pacientes;
  • Executar tratamento com agentes físicos;
  • Despachar expediente;
  • Formular quesitos periciais;
  • Demonstrar capacidade de trabalhar em equipe;
  • Ministrar tratamentos preventivos;
  • Arquivar documentos;
  • Discutir diagnóstico, prognóstico e tratamento com pacientes, clientes, responsáveis e familiares;
  • Vistoriar ambientes de trabalho;
  • Administrar situações de urgência e emergência;
  • Promover ações de controle de vetores e zoonoses;
  • Promover campanhas de saúde;
  • Interpretar dados de exame clínico e exames complementares;
  • Demonstrar capacidade de interpretar linguagem verbal e não-verbal;
  • Demonstrar capacidade de tomar decisões;
  • Prescrever tratamento;
  • Realizar anamnese;
  • Demonstrar capacidade de saber ouvir;
  • Responder quesitos periciais;
  • Implementar medidas de biossegurança;
  • Demonstrar capacidade de efetuar atendimento humanizado;
  • Elaborar procedimentos operacionais padrão;

Onde o Oncologista (clínico) pode trabalhar

Médicos clínicos os cargos dessa família CBO exercem suas funções em setores cujas atividades referem-se a saúde e serviços sociais, ensino, pesquisa e desenvolvimento. De modo geral atuam por conta própria, na condição de autônomos, sem supervisão permanente. Organizam- se individualmente e em equipe de trabalho, desenvolvendo as atividades em ambientes fechados, em horários de trabalho irregulares. Exceção feita profissionais que atuam no Programa de Estratégia de Saúde da Família, onde exercem suas funções como empregados, com supervisão ocasional e cumprem carga horária semanal prevista em Portaria específica. Podem trabalhar em posições desconfortáveis durante longos períodos e, devido à natureza e nível de responsabilidade próprio da função, podem estar sujeitos a estresse constante. Em algumas ocupações os profissionais podem estar sujeitos a ação de materiais tóxicos, químicos, radioativos e biológicos.

Como trabalhar de Oncologista (clínico)

Essas ocupações são exercidas por profissionais com formação superior em Medicina, credenciados pelo Conselho Regional de Medicina (CRM). O exercício pleno das funções se dá após o período de um a dois anos de experiência profissional e de três a quatro anos para o médico antroposófico. Para o exercício da função no Programa de Estratégia de Saúde da Família não é necessário experiência anterior.

Qual a formação mais comum para a profissão

A formação universitária mais comum para um Oncologista (clínico) é a formação em Medicina com Especialização em Oncologia para entrar e atuar no mercado de trabalho atual.

Quanto ganha um Oncologista (clínico)

O Oncologista (clínico) tem um salário inicial de R$ 2.573,50 podendo chegar a R$ 11.287,71 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 5.724,33 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 5.935,74 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Oncologista (clínico)).

Qual a jornada de trabalho do Oncologista (clínico)

O Oncologista (clínico) trabalha em média 24 horas por semana (120 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.

Categoria Profissional: