O que faz um Gerente de Frota

Profissionais exercendo a profissão de Gerente de Frota planejam as atividades operacionais de empresas de armazenamento, distribuição, transportes, comunicações e logística. Administram equipes, gerenciam recursos materiais e financeiros da área. Controlam o processo operacional e avaliam seus resultados. Providenciam meios para que as atividades sejam desenvolvidas em conformidade com as normas e procedimentos técnicos, de qualidade, segurança, meio ambiente e saúde. Buscam novas tecnologias e assessoram a diretoria e setores da empresa.

Algumas das principais funções da profissão

  • Agir com criatividade;
  • Contribuir na elaboração de descrição de cargos;
  • Implantar inovações;
  • Acionar plano de contingência;
  • Trabalhar em equipe;
  • Solucionar reclamações de clientes;
  • Racionalizar custos operacionais;
  • Administrar remanejamentos de pessoal;
  • Planejar viagens diferenciadas (fretamentos - cargas/passageiros);
  • Demonstrar capacidade de comunicação;
  • Divulgar implantação de inovações;
  • Avaliar execução orçamentária;
  • Planejar expansão de capacidade de atendimento;
  • Demonstrar decisão;
  • Manter-se atualizado profissionalmente;
  • Preparar substituto;
  • Providenciar descarte de sucatas e resíduos em geral;
  • Demonstrar capacidade de empreendimento;
  • Demonstrar capacidade de organização;
  • Atender auditoria e inspeções internas e externas;
  • Administrar conflitos;
  • Assessorar na elaboração do plano estratégico;
  • Identificar a necessidade de estratégias de segurança;
  • Eliminar não-conformidades;
  • Autorizar comercialização de espaço físico para anúncios, exposições, serviços....);
  • Monitorar roteiros e itinerários de veículos;
  • Autorizar requisições de compras;
  • Transmitir informações sobre condições de navegação aos comandantes;
  • Programar escala de férias;
  • Colaborar na definição de epis e epcs;
  • Qualificar fornecedores;
  • Elaborar plano de contingência e ações preventivas;
  • Sensibilizar equipes para a utilização de novas tecnologias;
  • Demonstrar iniciativa;
  • Demonstrar credibilidade;
  • Avaliar desempenhos das equipes;
  • Planejar expansão de áreas de atendimento;
  • Encaminhar ofícios aos órgãos de segurança e/ou saúde sobre ocorrências (assaltos, acidentes, doença);
  • Negociar condições e prioridades de projetos;
  • Interagir com outros setores;
  • Adaptar processos operacionais às novas tecnologias;
  • Cooperar no desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos operacionais;
  • Demonstrar liderança;
  • Zelar pela organização do local de trabalho;
  • Zelar pelo cumprimento das normas de segurança;
  • Acompanhar indicadores de desempenho (% de redução de custos, nº de passageiros por viagem...);
  • Equalizar cargos e remunerações;
  • Definir plano operacional e de manutenção;
  • Controlar uso e funcionalidade dos equipamentos à bordo;
  • Relacionar-se interpessoalmente;
  • Estimular a motivação da equipe;
  • Planejar alternativas de terceirização;
  • Planejar serviços de rádio chamada;
  • Demonstrar capacidade de negociação;
  • Detectar necessidades de treinamento e desenvolvimento;
  • Contribuir na elaboração do plano de carreira;
  • Aplicar medidas para corrigir distorções;
  • Definir metas (redução de custos, ganhos de produtividade, renovação de frota....);
  • Planejar desenvolvimento de mão-de-obra;
  • Planejar recursos humanos e materiais para as operações;
  • Redigir comunicados e orientações;
  • Acionar serviços de manutenção;
  • Elaborar orçamentos;
  • Distribuir tarefas;
  • Sugerir ações para o plano de saúde e segurança no trabalho;
  • Assessorar eventos promovidos por outros setores da empresa;
  • Analisar demanda operacional;
  • Avaliar indicadores de desempenho (% de redução de custos, nº de passageiros por viagem...);
  • Selecionar candidatos;
  • Delegar atribuições;
  • Administrar absenteísmo (faltas, licenças, afastamentos...);
  • Requisitar treinamento e desenvolvimento;
  • Definir processos de trabalho;
  • Estabelecer padrões para serviços subcontratados;
  • Controlar execução de serviços de terceiros;
  • Otimizar uso do espaço físico;
  • Detectar necessidade de contratação de pessoal;
  • Revisar planos;
  • Representar a empresa publicamente;
  • Preparar relatórios gerenciais;
  • Controlar serviços de manutenção;
  • Analisar capacidade de ocupação dos equipamentos;
  • Monitorar tráfego aéreo, marítimo, fluvial, rodoviário, ferroviário....);
  • Demonstrar flexibilidade;
  • Controlar o fluxo de entrada e saída de materiais e veículos;
  • Participar de feiras, seminários, congressos, simpósios....;
  • Autorizar gastos com terceirização;
  • Aprovar normas e procedimentos;
  • Autorizar aluguel de equipamentos a terceiros;
  • Delegar tarefas;
  • Definir linhas e itinerários;
  • Priorizar alocação de recursos;
  • Definir indicadores de desempenho (% de redução de custos, nº passageiros por viagem....);
  • Administrar rotatividade de pessoal;
  • Desenvolver produtos, serviços e/ou equipamentos junto a fornecedores ou terceiros;
  • Avaliar inovações;
  • Propor inovações tecnológicas;
  • Otimizar uso de recursos materiais;
  • Requisitar contratações e desligamentos de funcionários;
  • Controlar disponibilidade de veículos;
  • Elaborar normas e procedimentos;
  • Subsidiar, com informações, as tomadas de decisões relativas à sua área de atuação;
  • Autorizar alienação de equipamentos;
  • Planejar soluções de atendimento a clientes;
  • Providenciar reposição de epis e epcs;
  • Promover ações de preservação ambiental;

Onde o Gerente de Frota pode trabalhar

Gerentes de operações de serviços em empresa de transporte, de comunicação e de logística (armazenagem e distribuição) esses trabalhadores atuam em áreas operacionais de atividades de correio e telecomunicações, transporte aéreo, aquaviário e terrestre, armazéns gerais e serviços de distribuição. São assalariados, trabalham em equipe, com supervisão permanente, em ambiente fechado ou, como no caso do gerente de operações - transportes, também a céu aberto e em veículos. O horário de trabalho é diurno. Eventualmente, trabalham sob pressão, levando à situação de estresse constante. O gerente de operações transportes pode estar exposto a ruído intenso e o gerente de operações - correios e telecomunicações ao uso contínuo de computadores, provocando dores.

Como trabalhar de Gerente de Frota

Para o ingresso nesses empregos/ocupações, exige-se nível superior completo, exceto para o gerente de operações ¿ transportes, que tem como escolaridade mínima o ensino médio completo. A formação profissional é complementada por cursos especializados de duzentas a quatrocentas horas-aula para o gerente de operações ¿ transportes e mais de quatrocentas horas-aula para o gerente de logística. É recomendável mais de cinco anos de experiência profissional.

Quanto ganha um Gerente de Frota

O Gerente de Frota tem um salário inicial de R$ 1.649,82 podendo chegar a R$ 8.289,33 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 2.650,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 3.837,00 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Gerente de Frota).

Qual a jornada de trabalho do Gerente de Frota

O Gerente de Frota trabalha em média 43 horas por semana (215 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.