O que faz um Físico (Nuclear e Reatores)

Profissionais exercendo a profissão de Físico (Nuclear e Reatores) aplicam princípios, conceitos e métodos da física em atividades específicas, aplicam técnicas de radiação ionizante e não ionizante em ciências da vida, radiação na agricultura e conservação de alimentos e podem operar reatores nucleares e equipamentos emissores de radiação. Desenvolvem fontes alternativas de energia, projetam sistemas eletrônicos, ópticos, de telecomunicações e outros sistemas físicos. Realizam medidas de grandezas físicas, desenvolvem programas e rotinas computacionais e elaboram documentação técnica e científica.

Algumas das principais funções da profissão

  • Aplicar técnicas de radiação em análise e preparação de materiais;
  • Aferir equipamentos científicos;
  • Trabalhar em equipe;
  • Aplicar radiação na agricultura e conservação de alimentos;
  • Integrar sistemas eletrônicos, ópticos, de telecomunicações e outros sistemas físicos;
  • Demonstrar habilidade matemática;
  • Aplicar princípios físicos na adequação de ambientes;
  • Desenvolver modelos;
  • Traduzir manuais técnicos;
  • Demonstrar persistência;
  • Desenvolver processos para proteção do meio ambiente;
  • Cultivar visão ampla;
  • Manipular fontes radioativas;
  • Elaborar relatórios de análise de impacto ambiental;
  • Redigir trabalhos técnicos e científicos;
  • Especificar equipamentos e infra estrutura laboratorial;
  • Operar reatores nucleares e equipamentos emissores de radiação;
  • Desenvolver instrumentação científica;
  • Evidenciar organização;
  • Realizar pesquisa bibliográfica;
  • Verificar cumprimento dos procedimentos operacionais de radioproteção;
  • Evidenciar receptividade;
  • Gerir projetos de pesquisa;
  • Desenvolver padrões metrológicos;
  • Desenvolver expressão oral;
  • Organizar eventos científicos;
  • Validar programas computacionais;
  • Ministrar palestras, seminários e cursos;
  • Desenvolver fontes alternativas de energia;
  • Avaliar parâmetros físicos em sistemas ambientais;
  • Extrair conclusões;
  • Aplicar técnicas de radiação ionizante em outras áreas do conhecimento;
  • Assessorar na elaboração de protocolos e normas;
  • Preparar amostras;
  • Aplicar técnicas de radiação não ionizante em ciências da vida;
  • Aplicar métodos físicos a análise de sistemas ecológicos;
  • Equacionar modelo físico;
  • Testar programas computacionais;
  • Submeter trabalhos técnicos e científicos à publicação;
  • Desenvolver expressão da liderança;
  • Divulgar conhecimentos da física para a comunidade;
  • Participar de eventos científicos;
  • Desenvolver espírito crítico;
  • Solicitar registros de patentes e propriedade intelectual;
  • Desenvolver expressão escrita;
  • Desenvolver aplicações de novas tecnologias;
  • Demonstrar versatilidade;
  • Elaborar projetos de pesquisa;
  • Desenvolver processos;
  • Realizar análise de segurança e proteção radiológica;
  • Prestar consultoria;
  • Emitir pareceres técnicos e científicos;
  • Aplicar técnicas de espectrometria;
  • Planejar experimentos;
  • Demonstrar criatividade;
  • Planejar instalações;
  • Elaborar procedimentos operacionais e de segurança;
  • Orientar trabalhos técnicos e científicos;
  • Selecionar amostras e padrões;
  • Coordenar projetos de pesquisa;
  • Simular modelos;
  • Projetar sistemas, instalações e equipamentos de radiação;
  • Treinar especialista e técnicos;
  • Realizar levantamentos radiométricos;
  • Projetar sistemas eletrônicos, ópticos de telecomunicações e outros sistemas físicos;
  • Elaborar procedimentos de radioproteção;
  • Redigir documentação instrumental e de aplicativos;
  • Emitir laudos técnicos;
  • Desenvolver teorias;
  • Analisar sistemas eletrônicos, ópticos, de telecomunicações e outros sistemas físicos;
  • Aplicar técnicas de radiação ionizante em ciências da vida;
  • Aplicar técnicas de radiação não ionizante em outras áreas do conhecimento;
  • Caracterizar propriedades físicas, químicas e estruturais de materiais;
  • Realizar experimentos;
  • Identificar demanda;
  • Realizar ensaios e testes;
  • Selecionar modelo físico;
  • Elaborar cronograma físico e financeiro;
  • Desenvolver materiais;
  • Analisar resultados;
  • Desenvolver raciocínio lógico;

Onde o Físico (Nuclear e Reatores) pode trabalhar

Físicos os profissionais podem trabalhar em várias atividades econômicas como, por exemplo, saúde, fabricação de coque, refino de petróleo, produção de combustíveis, inclusive nucleares, fabricação de material eletrônico e aparelhos de comunicação. É mais comum encontrar esses profissionais em institutos de pesquisa e universidades públicas. Nestes casos, são classificados como pesquisadores ou professores. Costumam trabalhar em equipe multidisciplinar com supervisão ocasional. Pode ocorrer que, no exercício de algumas atividades, alguns profissionais estejam expostos aos efeitos da radiação e de materiais tóxicos.

Como trabalhar de Físico (Nuclear e Reatores)

As ocupações exigem para seu exercício, pelo menos, o curso superior completo, sendo freqüente a presença de profissionais com titulações de pós-graduação e cursos de especialização. O exercício pleno das atividades das ocupações geralmente ocorre após quatro anos de experiência na área.

Quanto ganha um Físico (Nuclear e Reatores)

O Físico (Nuclear e Reatores) tem um salário inicial de R$ 8.015,67 podendo chegar a R$ 13.611,50 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 10.840,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 9.848,57 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Físico (Nuclear e Reatores)).

Qual a jornada de trabalho do Físico (Nuclear e Reatores)

O Físico (Nuclear e Reatores) trabalha em média 42 horas por semana (210 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.

Categoria Profissional: