O que faz um Engenheiro de Segurança do Trabalho

Profissionais exercendo a profissão de Engenheiro de Segurança do Trabalho controlam perdas de processos, produtos e serviços ao identificar, determinar e analisar causas de perdas, estabelecendo plano de ações preventivas e corretivas. Desenvolvem, testam e supervisionam sistemas, processos e métodos produtivos, gerenciam atividades de segurança no trabalho e do meio ambiente, gerenciam exposições a fatores ocupacionais de risco à saúde do trabalhador, planejam empreendimentos e atividades produtivas e coordenam equipes, treinamentos e atividades de trabalho. Os Engenheiros de Logística também gerenciam as operações de logística em três eixos: transportes, armazenamento e inteligência, inclusive no que se refere à logística reversa.

Algumas das principais funções da profissão

  • Prestar assessorias técnicas;
  • Capacitar equipe de trabalho;
  • Compatibilizar métodos, processos, produtos e/ou serviços de acordo com normas e legislação;
  • Solicitar autorização para aquisição de produtos controlados;
  • Atualizar dados de registros;
  • Demonstrar capacidade de trabalhar em equipe;
  • Testar métodos e processos de produção e segurança;
  • Auditorar processos, produtos e serviços;
  • Determinar tipos de equipamentos de proteção individual e coletiva conforme riscos;
  • Pesquisar tecnologias;
  • Demonstrar capacidade de evidenciar senso crítico;
  • Verificar cumprimento de tarefas;
  • Analisar projetos;
  • Processar dados de registros;
  • Preparar art (anotação de responsabilidade técnica);
  • Gerar especificações técnicas e de segurança de produtos e/ou serviços;
  • Demonstrar criatividade;
  • Preparar documentos para patentes de produtos e processos;
  • Determinar procedimentos de segurança em armazenagem, transporte e utilização de produtos químicos;
  • Determinar procedimentos de segurança para atividades com pressão anormal;
  • Determinar causas de perdas;
  • Inspecionar funcionamento de processos, produtos e serviços;
  • Analisar causas de perdas;
  • Documentar memória técnica de métodos, processos, produtos e serviços;
  • Definir métodos e etapas de produção;
  • Organizar cronograma de equipe de trabalho;
  • Providenciar sinalizações de segurança;
  • Demonstrar raciocínio lógico;
  • Validar métodos, processos, produtos e/ou serviços;
  • Determinar procedimentos de segurança para trabalho com eletricidade;
  • Elaborar análise de riscos de empreendimentos e atividades produtivas;
  • Determinar procedimentos de segurança para espaços confinados;
  • Demonstrar capacidade de resolução de problemas;
  • Padronizar sistemas e operações;
  • Verificar procedimentos de descarte de rejeitos industriais;
  • Elaborar programas de prevenção de risco ambiental (ppra) e demais programas de prevenção;
  • Pesquisar mercado consumidor;
  • Demonstrar capacidade de antecipar problemas;
  • Comparar processos, produtos e serviços;
  • Demonstrar objetividade;
  • Demonstrar capacidade de negociação;
  • Criar banco de dados de processos e projetos;
  • Projetar produtos e processos;
  • Mapear equipe de trabalho;
  • Definir objetivos de trabalho;
  • Assumir riscos;
  • Demonstrar proatividade;
  • Tomar decisões;
  • Interpretar dados e resultados;
  • Medir as exposições a fatores ocupacionais de risco;
  • Classificar exposição a riscos potenciais;
  • Emitir laudos e/ou pareceres técnicos;
  • Elaborar cronograma físico e financeiro;
  • Verificar necessidades de treinamento de equipe;
  • Controlar emissão de efluentes líquidos, gasosos e sólidos;
  • Criar métodos e processos de produção e segurança;
  • Demonstrar liderança;
  • Dimensionar programa de prevenção e combate a incêndios ( ppci );
  • Determinar procedimentos para redução ou eliminação de ruídos industriais;
  • Elaborar relatórios;
  • Inspecionar instalações;
  • Ajustar processos e serviços;
  • Pesquisar normas e legislação;
  • Avaliar eficácia/eficiência de ajustes;
  • Emitir mapa de risco;
  • Demonstrar capacidade de contornar situações adversas;
  • Delegar tarefas;
  • Elaborar estudo técnico e econômico de empreendimentos e atividades de trabalho;
  • Monitorar desempenho de processos;
  • Definir orçamento e fontes de recursos financeiros;
  • Gerar especificações técnicas e de segurança de processos e/ou serviços;
  • Demonstrar capacidade de agir sob pressão;
  • Providenciar avaliação ergonômica de postos de trabalho;
  • Demonstrar capacidade de atenção difusa;
  • Avaliar eficácia de treinamentos;
  • Divulgar resultados e planos de trabalho;
  • Emitir programas de prevenção;
  • Fixar metas;
  • Emitir laudos periciais;
  • Demonstrar raciocínio matemático;
  • Definir equipe e materiais de trabalho;
  • Testar produtos em laboratório;
  • Estabelecer plano de ações preventivas e corretivas;
  • Coletar dados de processo;
  • Demonstrar capacidade de persuasão;
  • Organizar treinamentos;
  • Identificar perdas;
  • Implantar ferramentas de controle de qualidade;
  • Medir parâmetros/indicadores de processos, produtos e serviços;
  • Avaliar desempenho de equipe de trabalho;

Onde o Engenheiro de Segurança do Trabalho pode trabalhar

Engenheiros de produção, qualidade, segurança o trabalho é exercido em empresas dos mais diversos ramos, embora predomine o ramo industrial onde podemos destacar a metalurgia, fabricação de máquinas, equipamentos e veículos automotores, produtos alimentares e refino de petróleo. As instituições empregadoras são de diversos portes, públicas ou privadas. Os profissionais trabalham em equipe, com supervisão ocasional. Eventualmente, em algumas atividades, podem estar expostos a condições especiais de trabalho, tais como ruído intenso e altas temperaturas.

Como trabalhar de Engenheiro de Segurança do Trabalho

As ocupações da família requerem curso de Engenharia ou de Tecnologia nas áreas de Produção Industrial e Segurança do Trabalho, com registro no CREA, seguido ou não de cursos de especialização. Na área de processos e métodos, tempos e movimentos, é comum a formação em engenharia de produção ou industrial. É cada vez mais frequente a presença de profissionais com pós-graduação. A ocupação Higienista Ocupacional requer formação superior em engenharia, física, química, tecnologia, bioquímica, medicina, biologia, ou em outras ciências exatas ou biológicas correlatas seguido de curso de especialização na área de Higiene Ocupacional. O exercício pleno da atividade se dá, em média, após quatro anos de exercício profissional no caso dos engenheiros e dos tecnólogos em segurança do trabalho e de um a dois anos para os tecnólogos em produção industrial.

Qual a formação mais comum para a profissão

A formação universitária mais comum para um Engenheiro de Segurança do Trabalho é a formação em Engenharia de Segurança do Trabalho para entrar e atuar no mercado de trabalho atual.

Quanto ganha um Engenheiro de Segurança do Trabalho

O Engenheiro de Segurança do Trabalho tem um salário inicial de R$ 4.008,51 podendo chegar a R$ 12.578,53 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 8.483,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 7.527,54 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Engenheiro de Segurança do Trabalho).

Qual a jornada de trabalho do Engenheiro de Segurança do Trabalho

O Engenheiro de Segurança do Trabalho trabalha em média 40 horas por semana (200 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.