O que faz um Engenheiro de Alimentos

Profissionais exercendo a profissão de Engenheiro de Alimentos desenvolvem produtos e processos da área de produção de alimentos, controlando sua qualidade. Gerenciam processos e elaboram projetos de produção de alimentos. Coordenam equipes e podem prestar consultoria, assessoria e assistência técnica.

Algumas das principais funções da profissão

  • Definir processos;
  • Participar da seleção de pessoal;
  • Demonstrar senso estético;
  • Definir destino de produtos não conformes;
  • Pesquisar mercado;
  • Selecionar fornecedores;
  • Definir destino dos resíduos;
  • Determinar condições de armazenagem;
  • Armazenar amostras;
  • Trabalhar em equipe;
  • Realizar visita técnica;
  • Dispensar funcionários;
  • Solicitar manutenção dos equipamentos;
  • Verificar funcionamento dos equipamentos;
  • Demonstrar raciocínio lógico;
  • Validar produção em escala industrial;
  • Participar da execução do projeto de produção;
  • Verificar fluxo de produção;
  • Coletar amostras para análise;
  • Descartar amostras;
  • Orientar funcionários;
  • Demonstrar organização;
  • Demonstrar iniciativa;
  • Emitir pareceres técnicos;
  • Diagnosticar problemas;
  • Analisar características fisico-químicas e microbiológicas dos produtos;
  • Ajustar formulação aos padrões;
  • Definir padrões de procedimentos;
  • Elaborar cronograma físico e financeiro;
  • Classificar matéria-prima;
  • Participar da integração de pessoal;
  • Delegar tarefas;
  • Demonstrar memória sensorial;
  • Fornecer informações ao consumidor;
  • Analisar resultados;
  • Demonstrar proatividade;
  • Prestar suporte à área comercial e marketing;
  • Definir equipamento;
  • Analisar planta de produção;
  • Desenvolver simuladores de processos (planta piloto);
  • Definir tratamento de efluentes e resíduos;
  • Identificar necessidades de novos equipamentos;
  • Elaborar escala de trabalho;
  • Dimensionar linha de produção;
  • Verificar parâmetros fisico-químicos e microbiológicos;
  • Demonstrar liderança;
  • Verificar características sensoriais;
  • Esclarecer dúvidas do consumidor;
  • Supervisionar controle de estoque;
  • Registrar ocorrências;
  • Adequar matérias-primas aos padrões;
  • Fiscalizar cumprimento de tarefas;
  • Implantar programas de qualidade (appcc, bpf, bpm);
  • Desenvolver rotulagem;
  • Trabalhar com segurança;
  • Desenvolver embalagem;
  • Demonstrar empatia;
  • Consultar literatura técnica e legislação;
  • Capacitar equipe;
  • Aferir equipamentos;
  • Contornar situações adversas;
  • Acondicionar amostras;
  • Demonstrar senso crítico;
  • Validar matéria-prima;
  • Avaliar rendimento do alimento;
  • Realizar auditorias;
  • Realizar avaliação técnica;
  • Realizar análises laboratoriais;
  • Adequar instalações;
  • Supervisionar controle integrado de pragas;
  • Planejar rastreabilidade do produto;
  • Emitir laudos técnicos;
  • Coordenar implementação do projeto de produção;
  • Avaliar tecnologias disponíveis;
  • Pesquisar processos, materiais e equipamentos;
  • Consultar órgãos oficiais;
  • Avaliar aceitação do produto;
  • Definir volume de produção;
  • Registrar documentos;
  • Participar de auditorias qsmsrs;
  • Avaliar processos, materiais e equipamentos;
  • Autorizar descarte das amostras;
  • Avaliar desempenho de equipe;
  • Supervisionar manutenção dos equipamentos;
  • Identificar necessidades do cliente;
  • Demonstrar visão sistêmica;
  • Implementar novas tecnologias;
  • Selecionar matéria-prima;
  • Calibrar equipamentos;
  • Analisar dados;
  • Dimensionar equipes de trabalho;
  • Definir leiaute da planta;
  • Programar produção;
  • Demonstrar acuidade sensorial;
  • Testar produto e processo;
  • Demonstrar raciocínio analítico;
  • Determinar tempo de prateleira (shelf-life);
  • Supervisionar sistemas de higienização de utensílios, equipamentos e instalações;
  • Dimensionar equipamentos;
  • Analisar características sensoriais;
  • Determinar características fisico-químicas dos produtos;
  • Planejar logística de distribuição;
  • Propor soluções;
  • Elaborar documentação técnica;
  • Determinar perfil profissional;
  • Estimar custos;
  • Avaliar viabilidade financeira;
  • Demonstrar flexibilidade;
  • Sugerir promoção de funcionários;
  • Definir utensílios;
  • Testar alternativas;
  • Prospectar soluções tecnológicas;
  • Solicitar registro de produto;

Onde o Engenheiro de Alimentos pode trabalhar

Engenheiros de alimentos atuam em um amplo campo de trabalho, em indústrias tradicionais como alimentos e bebidas. Trabalham em equipes multidisciplinares, podendo supervisioná-la ou serem supervisionados. São empregados, majoritariamente, em empresas privadas. Paa o xercício de suas atividades, requere-se, no mercado, uma experiência de 1 a 2 anos.

Como trabalhar de Engenheiro de Alimentos

O exercício das ocupações requer formação em Engenharia de Alimentos ou em curso superior de tecnologia em áreas afins, com registro no CREA.

Qual a formação mais comum para a profissão

A formação universitária mais comum para um Engenheiro de Alimentos é a formação em Engenharia de Alimentos para entrar e atuar no mercado de trabalho atual.

Quanto ganha um Engenheiro de Alimentos

O Engenheiro de Alimentos tem um salário inicial de R$ 2.094,37 podendo chegar a R$ 7.686,78 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 3.500,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 3.990,47 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Engenheiro de Alimentos).

Qual a jornada de trabalho do Engenheiro de Alimentos

O Engenheiro de Alimentos trabalha em média 42 horas por semana (210 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.

Categoria Profissional: