O que faz um Economista Domestico

Profissionais exercendo a profissão de Economista Domestico prestam serviços sociais orientando indivíduos, famílias, comunidade e instituições sobre direitos e deveres (normas, códigos e legislação), serviços e recursos sociais e programas de educação, planejam, coordenam e avaliam planos, programas e projetos sociais em diferentes áreas de atuação profissional (seguridade, educação, trabalho, jurídica, habitação e outras), atuando nas esferas pública e privada, orientam e monitoram ações em desenvolvimento relacionados à economia doméstica, nas áreas de habitação, vestuário e têxteis, desenvolvimento humano, economia familiar, educação do consumidor, alimentação e saúde, desempenham tarefas administrativas e articulam recursos financeiros disponíveis.

Algumas das principais funções da profissão

  • Pesquisar a satisfação do usuário;
  • Orientar sobre rotinas da instituição;
  • Orientar sobre a otimização do uso de recursos;
  • Programar atividades;
  • Tabular dados;
  • Propor verbas orçamentárias;
  • Delimitar o problema;
  • Formular propostas;
  • Estabelecer cronograma;
  • Controlar custos;
  • Ensinar a otimização do uso de recursos;
  • Difundir resultados da pesquisa;
  • Orientar sobre cuidados especiais;
  • Avaliar cumprimento dos objetivos de programas, projetos, serviços e planos propostos;
  • Definir recursos financeiros;
  • Acompanhar a execução de programas, projetos, serviços e planos;
  • Administrar recursos financeiros;
  • Definir recursos humanos;
  • Pesquisar organizações e instituições públicas e privadas;
  • Avaliar custos;
  • Fazer estatísticas;
  • Formular cardápios para sadios;
  • Orientar sobre serviços e recursos sociais;
  • Definir objetivos e metas;
  • Aplicar instrumentos de avaliação;
  • Providenciar documentação oficial;
  • Mapear o perfil social do usuário;
  • Definir público beneficiário;
  • Negociar com organizações e instituições públicas e privadas;
  • Providenciar material operacional;
  • Buscar parceiros;
  • Pesquisar características da área de atuação;
  • Realocar recursos disponíveis;
  • Realizar estudo socioeconômico;
  • Capacitar pessoal;
  • Trabalhar com ética profissional;
  • Definir recursos materiais;
  • Definir metodologia;
  • Facilitar grupos socioeducativos;
  • Avaliar satisfação dos usuários;
  • Assessorar órgãos públicos, empresas e organizações civis;
  • Pesquisar informações ´in loco´;
  • Estabelecer critérios de atendimento;
  • Preencher formulários;
  • Avaliar resultados de programas, projetos, serviços e planos;
  • Selecionar pessoal;
  • Formular rotinas e procedimentos profissionais;
  • Identificar recursos financeiros disponíveis;
  • Organizar grupos socioeducativos;
  • Estudar viabilidade de projetos propostos;
  • Elaborar pareceres técnicos;
  • Orientar sobre direitos e deveres;
  • Orientar sobre conteúdo de processo e procedimentos;
  • Divulgar o evento;
  • Captar recursos financeiros, materiais e humanos;
  • Consultar organizações e especialistas;
  • Participar de comissões técnicas;
  • Estabelecer prioridades;
  • Demonstrar capacidade de escuta profissional;
  • Controlar fluxo de documentos;
  • Coletar dados;
  • Lidar com estresse;
  • Preparar programação;
  • Demonstrar autocontrole;
  • Convidar participantes;
  • Articular com movimentos sociais;
  • Elaborar planos, programas projetos e serviços;
  • Criar critérios e indicadores para avaliação;
  • Integrar grupos de estudo de casos;
  • Registrar atendimentos;
  • Escalar pessoal;
  • Atribuir tarefas à equipe;
  • Demonstrar persistência;
  • Trabalhar em equipe;
  • Recrutar pessoal;
  • Lidar com situações adversas;
  • Orientar sobre aspectos ergonômicos do trabalho;
  • Orientar sobre normas, códigos e legislação;
  • Monitorar atendimento dos compromissos acordados com o usuário;
  • Elaborar relatórios técnicos;
  • Levantar número de usuários;
  • Contornar situações adversas;
  • Participar de conselhos de direitos e políticas públicas;
  • Compilar dados;
  • Esclarecer dúvidas;
  • Coordenar grupos de trabalho;
  • Coordenar programas, projetos, serviços, benefícios e equipamentos;
  • Controlar dados estatísticos;
  • Manter o sigilo profissional;
  • Preparar anais para publicação;
  • Formular instrumental (formulários, questionários, etc);
  • Realizar cursos, palestras, reuniões e capacitações;
  • Determinar natureza e objetivos do evento;
  • Supervisionar trabalho dos técnicos da área;
  • Articular uma rede de atendimento;
  • Pesquisar interesses e necessidades da população;
  • Demonstrar ousadia;
  • Mediar conflitos;
  • Demonstrar criatividade;
  • Identificar recursos sociais disponíveis;
  • Formar parcerias;
  • Cadastrar usuários, entidades e recursos;
  • Organizar dados coletados;
  • Analisar as técnicas utilizadas;
  • Contratar pessoal e serviços;
  • Desenvolver programas de educação alimentar para sadios;
  • Definir parceiros;
  • Orientar sobre acesso a direitos instituídos;
  • Respeitar as diversidades étnicas, culturais, de gênero, de credo, de orientação sexual, etc;
  • Supervisionar estágios curriculares;
  • Realizar pesquisas bibliográficas e documentais;
  • Identificar possibilidades de geração de renda;

Onde o Economista Domestico pode trabalhar

Assistentes sociais e economistas domésticos trabalham em instituições das esferas pública e privada, bem como em ONG. Podem atuar em empresas ou instituições do setor agropecuário, comercial, industrial e de serviços. O foco de atuação é a família (ou indíviduo). São estatutários ou empregados com carteira assinada. Trabalham em equipe, sob supervisão ocasional, em ambientes fechados e em horário diurno, podendo, o assistente social trabalhar em horários irregulares durante plantões e em casos emergenciais. Eventualmente, trabalham sob pressão, levando à situação de estresse.

Como trabalhar de Economista Domestico

O exercicio dessas ocupações requer curso superior em serviço social para a ocupação de Assistente social e formação em Economia doméstica para a ocupação de Economista doméstico.

Quanto ganha um Economista Domestico

O Economista Domestico tem um salário inicial de R$ 2.906,46 podendo chegar a R$ 9.448,87 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 5.255,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 5.386,84 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Economista Domestico).

Qual a jornada de trabalho do Economista Domestico

O Economista Domestico trabalha em média 39 horas por semana (195 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.