O que faz um Desenhista de Produto (mobiliário)

Profissionais exercendo a profissão de Desenhista de Produto (mobiliário) concebem e desenvolvem obras de arte e projetos de design, elaboram e executam projetos de restauração e conservação preventiva de bens culturais móveis e integrados. Para tanto realizam pesquisas, elaboram propostas e divulgam suas obras de arte, produtos e serviços.

Algumas das principais funções da profissão

  • Elaborar relatórios(dossiês);
  • Trabalhar em equipe;
  • Registrar patente ou direito autoral;
  • Demonstrar habilidade motora fina;
  • Elaborar material promocional;
  • Realizar pesquisa de campo;
  • Participar de concursos;
  • Apresentar trabalhos em congressos, seminários;
  • Identificar viabilidade do projeto;
  • Cumprir normas e procedimentos de segurança;
  • Elaborar plasticamente imagem surgida na elaboração da obra;
  • Realizar testes e ensaios nos materiais e produtos;
  • Compor equipes;
  • Prestar consultoria;
  • Demonstrar capacidade de síntese;
  • Demonstrar criatividade;
  • Interagir com outras linguagens (ilustração, multimídia, etc...);
  • Identificar necessidades do público alvo;
  • Comercializar produto, obra e serviços de conservação-restauração;
  • Aplicar técnicas de desenho;
  • Coordenar equipes;
  • Ministrar palestras, cursos e oficinas;
  • Contatar clientes;
  • Experimentar materiais;
  • Demonstrar capacidade de atenção;
  • Desenvolver embalagem para movimentação, manuseio e transporte de obra de arte , bem cultural e produto;
  • Interagir com instituições e profissionais da área;
  • Identificar problema;
  • Registrar etapas do processo criativo;
  • Pesquisar padrões de reprodutibilidade;
  • Promover eventos;
  • Demonstrar habilidade manual;
  • Configurar ideias em diferentes suportes;
  • Veicular produto ou obra na mídia eletrônica, impressa, televisiva;
  • Definir perfil do público alvo;
  • Estabelecer condições contratuais;
  • Definir processos de produção;
  • Executar modelo, protótipo ou peça piloto;
  • Demonstrar afinidade com novas tecnologias;
  • Conferir visibilidade a um impulso emocional e racional;
  • Realizar pesquisas de mercado;
  • Submeter projetos aos órgãos oficiais;
  • Propor soluções técnicas e tecnológicas para projeto de design, obra de arte e conservação-restauração;
  • Frequentar exposições e mostras;
  • Identificar necessidades de outros especialistas envolvidos no processo;
  • Demonstrar capacidade de percepção;
  • Aplicar técnicas de modelagem bi e tridimensional;
  • Participar de comissões de seleção de artistas, obras e produtos;
  • Participar de bancas e júris de exposições, concursos, etc...;
  • Avaliar ideias ou conceitos propostos;
  • Determinar ideia ou conceito a ser adotado;
  • Analisar material e técnicas;
  • Colocar obras em coleções públicas e privadas;
  • Aplicar técnicas de gravura;
  • Solicitar parecer de outros profissionais;
  • Apresentar proposta;
  • Aplicar técnicas específicas pertinentes ao projeto;
  • Avaliar pedido do cliente;
  • Participar de feiras;
  • Pesquisar temáticas;
  • Elaborar livros, artigos, etc;
  • Definir tecnologias e materiais;
  • Expor em exposições, salões e espaços públicos;
  • Aferir padrão de qualidade do produto, da obra e da intervenção;
  • Pesquisar literatura específica da área;
  • Identificar público alvo;
  • Definir memorial descritivo;
  • Elaborar diagnósticos;
  • Formatar pedido do cliente;
  • Orientar profissionais sobre uso correto de equipamentos de segurança;
  • Elaborar orçamentos e cronograma;
  • Demonstrar capacidade de imaginação espacial;
  • Capacitar equipes;
  • Controlar condições de transporte, embalagem, armazenagem e acondicionamento;
  • Experimentar ideias;
  • Pesquisar história da arte, da técnica e dos materiais;
  • Aplicar técnicas digitais;
  • Participar do processo de gerenciamento de risco;
  • Definir padrão de qualidade do produto, da obra e da intervenção;
  • Emitir parecer técnico;
  • Definir metodologias e critérios;
  • Demonstrar acuidade visual;
  • Desenvolver soluções técnicas e tecnológicas para projeto de design, obra de arte e conservação-restauração;
  • Definir fatores ambientais, espaciais, culturais, sociais e econômicos;
  • Definir suportes e materiais a serem utilizados;
  • Definir técnicas de acabamento;

Onde o Desenhista de Produto (mobiliário) pode trabalhar

Artistas visuais, desenhistas industriais e conservadores-restauradores de bens culturais os artistas visuais e os desenhistas industriais de produto, gráficos e de produto de moda têm em comum o processo de criação e a utilização de conjuntos de técnicas específicas às respectivas áreas de atuação. Diferem, basicamente, quanto à finalidade do trabalho: enquanto os artistas visuais criam e produzem peças únicas ou com tiragem limitada, em resposta a uma encomenda ou não, os desenhistas industriais respondem sempre a uma encomenda e estão voltados para a concepção de peças que serão produzidas em série. Já os conservadores-restauradores utilizam um conjunto de técnicas específicas para restauração de bens culturais. A forma de trabalhar também apresenta semelhanças e diferenças, a saber: os desenhistas industriais de produto, gráficos e de produto de moda e os conservadores-restauradores trabalham com supervisão ocasional enquanto os artistas visuais trabalham sem supervisão e em horários irregulares. Em todas as ocupações predominam os autônomos. Os artistas visuais trabalham de forma individual enquanto os desenhistas industriais em equipe multidisciplinar e os conservadores- restauradores podem trabalhar tanto individualmente como em equipe. No exercício de algumas atividades, os artistas visuais e os conservadores-restauradores podem trabalhar em posições desconfortáveis. Todas as ocupações estão sujeitas à exposição a materiais tóxicos.

Como trabalhar de Desenhista de Produto (mobiliário)

A formação requerida para os desenhistas industriais de produto, gráficos e de produto de moda, também conhecidos como designers, é o curso superior de Tecnologia na área ou bacharelado. No caso dos artistas visuais e dos conservadores-restauradores, a escolaridade não é requisito imprescindível. Há também profissionais de notório saber. Registra-se tendência de profissionalização na área das artes, sendo desejável qualificação formal ou informal. O desempenho pleno das atividades, para os artistas visuais, conservadores-restauradores, desenhistas industriais de produto e desenhistas industriais gráficos, ocorre com cinco anos de experiência profissional, enquanto que para os desenhistas industriais de produto de moda ocorre entre três e quatro anos.

Qual a formação mais comum para a profissão

A formação universitária mais comum para um Desenhista de Produto (mobiliário) é a formação em Design de Produtos para entrar e atuar no mercado de trabalho atual.

Quanto ganha um Desenhista de Produto (mobiliário)

O Desenhista de Produto (mobiliário) tem um salário inicial de R$ 1.628,74 podendo chegar a R$ 8.817,55 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 3.000,00 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 4.136,48 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Desenhista de Produto (mobiliário)).

Qual a jornada de trabalho do Desenhista de Produto (mobiliário)

O Desenhista de Produto (mobiliário) trabalha em média 42 horas por semana (210 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.