O que faz um Crítico de Jornal (ombudsman)

Profissionais exercendo a profissão de Crítico de Jornal (ombudsman) escrevem textos literários para publicação, representação e outras formas de veiculação e para tanto criam projetos líterários, pesquisando temas, elaborando esquemas preliminares. Podem buscar publicação ou encenação da obra literária bem como sua divulgação.

Algumas das principais funções da profissão

  • Situar projeto em um determinado espaço, tempo.;
  • Demonstrar hábito de leitura;
  • Definir conceitos a serem desenvolvidos na obra técnica, didática e científica;
  • Pesquisar música;
  • Definir foco narrativo;
  • Realizar pesquisa de campo;
  • Desenvolver intuição;
  • Conceder entrevistas;
  • Decodificar a obra para o público alvo;
  • Realizar palestras para divulgar a obra;
  • Pesquisar cinema;
  • Buscar subsídios na memória (emocionais, experiência pessoal);
  • Dominar a língua;
  • Pesquisar iconografia;
  • Pesquisar textos literário;
  • Considerar prazos na elaboração do texto;
  • Considerar público alvo;
  • Pesquisar fontes historiográficas;
  • Analisar propostas de trabalho pré-definidas;
  • Definir gênero da obra (forma e conteúdo);
  • Elaborar e reelaborar o texto;
  • Considerar diretrizes formuladas para projeto;
  • Procurar editor para publicação;
  • Utilizar recursos retóricos para sedução dos leitores;
  • Adequar linguagem ao público alvo;
  • Consultar especialistas;
  • Participar de mesas redondas;
  • Pesquisar teatro;
  • Pesquisar os sons das palavras;
  • Escrever de acordo com as especificidades do gênero da obra;
  • Buscar subsídios nas memórias de leituras (textos escritos, imagens, espetáculos etc);
  • Demonstrar senso de observação;
  • Pesquisar palavras, gírias e formas de expressão;
  • Reelaborar o texto final considerando pareceres críticos;
  • Selecionar material coletado;
  • Discutir direitos autorais;
  • Participar de comissões julgadoras;
  • Pesquisar textos jornalísticos;
  • Demonstrar criatividade;
  • Negociar contrato de edição;
  • Dominar a linguagem específica do veículo (tv, livro, cinema, teatro, jornal etc);

Onde o Crítico de Jornal (ombudsman) pode trabalhar

Profissionais da escrita desenvolvem a escrita, trabalho intelectual e subjetivo, tanto no conteúdo, como na forma de organizá-lo e desenvolvê-lo. Trabalham geralmente como autônomos, podendo exercer outras atividades de forma concomitante à escrita. São encontrados em várias atividades econômicas, dentre elas, no ensino e nas atividades culturais e recreativas. Costumam trabalhar sozinhos - exceção feita aos autores- roteiristas que trabalham em equipes interdisciplinares, em geral, em horários irregulares. Os processos de concepção e criação são partes importantes do seu trabalho, assim como as habilidades de organização, pesquisa, obervação e reflexão.

Como trabalhar de Crítico de Jornal (ombudsman)

O exercício do trabalho não requer formação escolar definida, senso imprescindível o domínio da língua, bem como das linguagens específicas aos vários veículos de comunicação para os quais se pode escrever, como teatro, TV, cinema etc. É freqüente a ocorrência de profissionais autodidatas.

Quanto ganha um Crítico de Jornal (ombudsman)

O Crítico de Jornal (ombudsman) tem um salário inicial de R$ 1.302,67 podendo chegar a R$ 6.103,94 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 3.214,42 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 3.138,12 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Crítico de Jornal (ombudsman)).

Qual a jornada de trabalho do Crítico de Jornal (ombudsman)

O Crítico de Jornal (ombudsman) trabalha em média 39 horas por semana (195 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.

Categoria Profissional: