O que faz um Chapista de Veículos (fabricação)

Profissionais exercendo a profissão de Chapista de Veículos (fabricação) confeccionam, reparam e instalam peças e elementos diversos em chapas de metal como aço, ferro galvanizado, cobre, estanho, latão, alumínio e zinco, fabricam ou reparam caldeiras, tanques, reservatórios e outros recipientes de chapas de aço, recortam, modelam e trabalham barras perfiladas de materiais ferrosos e não ferrosos para fabricar esquadrias, portas, grades, vitrais e peças similares.

Algumas das principais funções da profissão

  • Obedecer as normas de segurança do trabalho;
  • Fixar peça (por rebite, parafuso, ponto de solda, etc.);
  • Verificar as condições da chapa;
  • Traçar peças de acordo com medidas do projeto;
  • Organizar ferramentas e máquinas;
  • Desenvolver percepção visual;
  • Recuperar peça;
  • Cortar peças;
  • Interpretar projeto;
  • Desempenar peças;
  • Desenvolver resistência física;
  • Selecionar máquinas e ferramentas;
  • Demonstrar espírito de equipe;
  • Providenciar liberação do local de trabalho;
  • Verificar especificações do projeto;
  • Nivelar peça;
  • Esmerilhar peças;
  • Verificar as dimensões do corte;
  • Desenvolver concentração;
  • Vedar peça;
  • Utilizar equipamentos de proteção individual;
  • Sinalizar área de risco;
  • Examinar marcações da peça;
  • Participar da avaliação da obra;
  • Definir equipamentos de proteção individual;
  • Determinar material para execução do projeto;
  • Avaliar condições finais da peça;
  • Determinar local para depósito de materiais e ferramentas;
  • Interpretar ordem de serviço;
  • Examinar ângulos do chanfro;
  • Zelar pela limpeza e organização;
  • Utilizar equipamentos de proteção coletiva;
  • Conservar ferramentas e máquinas;
  • Chanfrar peças;
  • Demonstrar habilidade manual;
  • Demonstrar criatividade;
  • Conformar peças;
  • Planejar o reparo;
  • Trabalhar em áreas de risco;
  • Preparar local de trabalho;
  • Esquadrejar peça;
  • Substituir peças;
  • Fabricar gabaritos;

Onde o Chapista de Veículos (fabricação) pode trabalhar

Trabalhadores de caldeiraria e serralheria os trabalhadores desta família podem desempenhar suas atividades em indústrias como por exemplo, metalmecânicas, de fabricação de veículos e outros equipamentos de transporte, construção civil e seu vínculo de trabalho predominante é como empregado com carteira. Podem,também, prestar serviços de confecção e reparação como autônomos ou por conta-própria. O seu trabalho costuma se desenvolver de forma individual, normalmente em turnos diurnos, submetido a supervisão permanente. No exercício das suas atividades esses profissionais tendem a ficar em posições desconfortáveis por longos períodos, podendo trabalhar em grandes alturas ou em ambientes confinados. No exercício de algumas de suas atividades, podem estar sujeitos aos efeitos de materiais tóxicos, radiação, ruído e altas temperaturas.

Como trabalhar de Chapista de Veículos (fabricação)

As ocupações requerem nível de instrução mínimo equivalente ao ensino fundamental (ou 1ºgrau completo) e sua aprendizagem poderá se dar por intermédio de cursos de qualificação profissional de curta duração até duzentas horas é desejável que os titulares das ocupações apresentem experiência anterior por um período de três a quatro anos.

Quanto ganha um Chapista de Veículos (fabricação)

O Chapista de Veículos (fabricação) tem um salário inicial de R$ 1.346,99 podendo chegar a R$ 2.855,88 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 1.518,47 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 1.743,12 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Chapista de Veículos (fabricação)).

Qual a jornada de trabalho do Chapista de Veículos (fabricação)

O Chapista de Veículos (fabricação) trabalha em média 44 horas por semana (220 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.