O que faz um Balanceiro de Concreto

Profissionais exercendo a profissão de Balanceiro de Concreto programam a produção e o fornecimento de concreto e misturam seus agregados. Preparam o ambiente, os equipamentos de trabalho e os insumos do concreto. Descarregam e bombeiam o concreto.

Algumas das principais funções da profissão

  • Verificar pneu e nível de óleo e água;
  • Inspecionar sistema elétrico, mecânico e hidráulico dos equipamentos;
  • Programar os insumos do concreto;
  • Conferir o estoque de insumos;
  • Analisar a umidade da areia;
  • Conferir densidade do concreto;
  • Manter-se atualizado na carreira;
  • Trabalhar em equipe;
  • Coletar amostras de insumos para análise;
  • Registrar os horários da carga e descarga;
  • Demonstrar iniciativa;
  • Avaliar ordem de serviço;
  • Controlar abertura das comportas, através de painéis;
  • Prever tempo e itinerário para o transporte;
  • Quantificar peso e volume dos insumos;
  • Selecionar equipamentos e acessórios;
  • Estabelecer o cronograma da produção;
  • Registrar horário de descarga do concreto de acordo com o prazo;
  • Analisar o traço (fck);
  • Registrar os pedidos dos clientes;
  • Reabastecer combustível dos equipamentos;
  • Demonstrar habilidades numéricas;
  • Trabalhar sob pressão;
  • Abastecer betoneira com água;
  • Demonstrar senso de organização;
  • Medir insumos conforme o traço;
  • Controlar as saídas do concreto da central para a obra;
  • Testar funcionamento dos equipamentos;
  • Demonstrar responsabilidade;
  • Ser cuidadoso;
  • Relacionar insumos;
  • Descrever as avarias para manutenção dos equipamentos;
  • Avaliar a quantidade de água no concreto;
  • Consultar tabelas e relatórios;

Onde o Balanceiro de Concreto pode trabalhar

Trabalhadores na operação de máquinas de concreto usinado atuam em empresas de construção como assalariados com carteira assinada. Podem trabalhar também no comércio por atacado e em atividades imobiliárias. O trabalho é exercido em equipe com supervisão permanente, é presencial, realizado em horários irregulares, em ambiente fechado - operador de central de concreto, e a céu aberto - operadores de bomba de concreto e de betoneira. Trabalham sob pressão, o que pode levá-los à situação de estresse constante, e expostos a ruído intenso. O operador de central de concreto pode atuar em local confinado. Os operadores de bomba de concreto e de betoneira estão sujeitos a pó e a serem atingidos por objetos, perigos inerentes ao trabalho realizado em trânsito urbano também fazem parte de sua rotina de trabalho. No caso do operador de bomba de concreto, o seu trabalho pode também ser realizado em grandes alturas.

Como trabalhar de Balanceiro de Concreto

Para o exercício dessas ocupações requer-se escolaridade entre quarta e sétima séries do ensino fundamental, exceto o operador de central de concreto que tem o ensino fundamental concluído. Requer-se também qualificação profissional da seguinte forma: cursos básicos de até duzentas horas para o operador de betoneira de duzentas a quatrocentas horas, para operador de central de concreto e de mais de quatrocentas horas, para operador de bomba de concreto. O pleno exercício das atividades ocorre com menos de um ano de experiência profissional, para operador de betoneira, e de um a dois anos para operadores de bomba de concreto e de central de concreto.

Quanto ganha um Balanceiro de Concreto

O Balanceiro de Concreto tem um salário inicial de R$ 1.344,41 podendo chegar a R$ 2.441,79 dependendo da empresa e do tempo de experiência do profissional na área, sendo que R$ 1.779,81 é a média salarial da profissão em todo Brasil.

O piso salarial médio do cargo fica em torno de R$ 1.697,02 de acordo com instrumentos coletivos registrados por sindicatos da categoria na plataforma Mediador - Sistema de Negociações Coletivas de Trabalho da Subsecretaria de Relações do Trabalho - SRT (acordos coletivos, convenções coletivas e dissídios que citam Balanceiro de Concreto).

Qual a jornada de trabalho do Balanceiro de Concreto

O Balanceiro de Concreto trabalha em média 44 horas por semana (220 por mês) no mercado de trabalho do Brasil.